Sérvia: Escritora Alexandra Lucas Coelho apresenta em Belgrado o seu conto “Ž”

Publicado em terça, 13 janeiro 2015 18:16

A jornalista e escritora portuguesa Alexandra Lucas Coelho, que está em Belgrado desde 21 de dezembro último como convidada da Residência de Escrita da Krokodil, apresenta na UK Parobrod, a 17 de janeiro de 2015, a sua obra intitulada “Ž”, última letra do abecedário sérvio e também a inicial que esconde o nome de uma das personagens do conto.

A Residência de Escrita de Krokodil realiza-se com apoio do Centro de Língua Portuguesa/Camões, I.P. de Belgrado. A história inspira-se na experiência que a autora teve durante a curta e intensiva estadia em Belgrado e em Sarajevo, no período entre 21 de dezembro de 2014 e 10 de janeiro de 2015.

Alexandra Lucas Coelho participará na apresentação juntamente com Vladimir Arsenijević, escritor e diretor da Associação Krokodil. Partindo da leitura de alguns excertos do conto, desenvolver-se-á uma conversa sobre a experiência da residência de escrita e o imaginário do conto.

Ao estilo dos círculos literários, os leitores serão convidados a partilhar as suas impressões sobre o texto em conversa com a autora. A apresentação acontecerá em inglês. O conto, traduzido para sérvio por Jovan Tatić, será oferecido a todos os visitantes em edição impressa.

“(...) Em Dezembro caíam os primeiros nevões, ficava tudo fofo, depois duro, e depois pedregulhos podiam cair nas cabeças, se a temperatura subisse de repente, morre-se disso em Belgrado, como nos trópicos de um coco. Árvores em ponto de fuga, silêncio de bosque mais que de bairro: não é Tito nem Milošević que suponho a atravessar a estrada (também não atravessariam a estrada, imagino), mas sim as longas pernas de Ž, com aquelas calças de pinças, aqueles ténis, aqueles blasers, aqueles pins no blaser, aquelas franjas dos anos 80 tapando olhos de ressaca, de quem não dá trela a ninguém. Vai fazer vinte anos amanhã, e mais um amigo acaba de morrer. (...) ”

Alexandra Lucas Coelho (1967, Lisboa) é escritora e jornalista. Foram-lhe atribuídos vários prémios de jornalismo e um prémio de literatura. Publicou cinco livros de reportagem-crónica-viagem: Oriente Próximo (2007), Caderno Afegão (2009), Viva México (2010), Tahrir (2011) e Vai, Brasil (2013), e dois romances, E a Noite Roda (Grande Prémio de Romance e Novela APE, 2012) e O Meu Amante de Domingo (2014). Viveu em Jerusalém e no Rio de Janeiro. Atualmente, vive em Portugal.

 

 

 

 

Tópicos neste artigo:
Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.