EUA: Participação portuguesa no Iberian Suite em Washington foi um sucesso

Publicado em quinta, 26 março 2015 16:59

O Kennedy Center acolheu, entre os dias 3 e 24 de março, a mostra cultural Iberian Suite: Arts Remix Across Continents, um evento de divulgação da arte e a cultura dos países de língua portuguesa e espanhola, que contou com o apoio do Camões, I.P.

Ana Miranda, presidente do Arte Institute, a organização que apoiou a ida de vários artistas plásticos e músicos até Washington, disse à Lusa que este festival "deu uma imagem moderna de um Portugal criativo, que arrisca e que consegue conjugar o tradicional com o moderno sem perder identidade."

Congregando cerca de 600 artistas - provenientes da Península Ibérica, África, América Latina e Ásia – o Iberian Suite apresentou, em língua portuguesa, produções culturais de Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique e Portugal, e contou com a participação de criadores, artistas, autores e companhias destes países, indo da dança às artes plásticas, da música ao teatro, passando pela literatura.

No campo literário, apresentaram-se escritores como Gonçalo M. Tavares, José Luís Peixoto, Afonso Cruz, Dulce Maria Cardoso, Ondjaki (Angola), Tatiana Salem Levy (Brasil) e Adriana Lisboa (Brasil). A Presidente da Fundação Saramago, Pilar del Rio, fez um tributo ao Prémio Nobel da Literatura de 1998.

Na dança, apresentaram-se a Companhia Portuguesa de Bailado e o Grupo Corpo (Brasil), com o espetáculo Fado, Rituals and Shadows, criado por Vasco Wellenkamp.

No teatro, destacaram-se nomes de atores como Diogo Infante, que interpretou Ode Marítima, de Álvaro Campos; da companhia de teatro Mundo Perfeito, com os espetáculos Três dedos abaixo do joelho e By Heart; da companhia Mala Voadora, com What I heard about the world, peça que resulta do encontro da companhia com o coletivo britânico Third Angel; o Teatro Meridional, que apresentou Contos em Viagem - Cabo Verde; e a Companhia Hiato (Brasil), que levou O Jardim.

Nas artes plásticas, Vhils criou um retrato de Fernando Pessoa utilizando uma seleção de páginas dos seus escritos. A presença na música incluiu The Gift, João Gil, Sofia Ribeiro, Luísa Sobral, Rodrigo Leão, António Zambujo, Carminho, Camané, Moreira Chonguiça (Moçambique) e ainda a Orquestra Jovem do Estado de São Paulo e a Manhattan Camerata. Carminho e Camané atuaram juntos no concerto inaugural, dedicado ao Fado, com a National Symphony Orchestra, orquestra residente do Kennedy Center.

Alicia Adams, a curadora do evento, explicou à agência Lusa que "O festival atingiu as nossas expectativas, tanto em termos de qualidade do trabalho apresentado no Kennedy Center como em termos da extraordinária receção que teve junto do público e da imprensa".

 

 

 

 

Tópicos neste artigo:
Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.