Angola: Cinemas como ponto de partida para uma reflexão sobre arquitetura moderna

Publicado em quarta, 23 setembro 2015 12:40

No dia 29 de setembro de 2015, pelas 18h00, o Centro Cultural Português em Luanda/Camões, I.P., organiza uma mesa redonda sobre “Angola Cinemas - Uma Ficção da Liberdade”, que abordará a história deste segmento específico do património arquitetónico e cultural daquele país.

O encontro irá abordar a obra “Angola Cinemas - Uma Ficção da Liberdade” promovida pelo Goethe Institut, com fotografias da autoria de Walter Fernandes e edição de Cristiane Schulte, Gabriele Stiller-Kern e Miguel Hurst.

Esta será uma oportunidade para debater o tema da arquitetura moderna, em particular dos cinemas angolanos, construídos nas décadas que precederam a independência de Angola.

Segundo as arquitetas Maria Alice Correia e Paula Nascimento, “embora os cinemas de Angola tivessem sido inicialmente projetados como espaços tradicionalmente fechados, a partir de 1960, os cinemas ao ar livre com bar introduziram uma nova era, sobretudo porque se adaptavam bem melhor ao clima tropical”.

Na ocasião será também inaugurada uma exposição que apresentará fotografias de cinemas espalhados por todo o território angolano, recolhidas pelo fotógrafo Walter Fernandes, documentando e divulgando o que é considerado um tesouro arquitetónico.

Estas iniciativas são a continuidade das ações desenvolvidas por este centro cultural ao longo de 2015, tendo em vista a promoção e divulgação da arquitetura moderna em Angola, concebida e concretizada na década 50 por um grupo de arquitetos portugueses que, em antagonismo com os padrões do Estado Novo concretizaram uma transformação inspirada por novos conceitos funcionais e estéticos da corrente moderna.

 

 

 

 

Tópicos neste artigo:
Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.