Inauguração da Exposição de Fotografia “Belville” de Maria Bourbou, no Camões, I.P.

Publicado em quinta, 30 junho 2016 18:28

Realizou-se no dia 29 de junho de 2016, às 18h30, na Sala de Exposições da Sede do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, em Lisboa, a inauguração da exposição fotográfica “Belville” da artista Maria Bourbou. O evento contou com a presença da Presidente do Camões, I.P., da artista, do Embaixador do Luxemburgo em Lisboa e de outros representantes do corpo diplomático acreditado na capital portuguesa.

O projeto Belville faz uma abordagem intimista ao Luxemburgo. O país, localizado no centro da Europa, conhecido pela sua forte economia, é abordado e analisado de forma original através da fotografia. A simplicidade, a jovialidade e o quotidiano do país e dos seus habitantes despertaram o interesse da artista.

Maria Bourbou, nasceu em 1971 e cresceu em Atenas, Grécia. Depois de ter vivido alguns anos no Luxemburgo, país ao qual chegou em 2006, vive atualmente em Lisboa.

Em 1998, conclui os estudos na Escola privada de Fotografia Dimitrios Hliveros – ex-fotógrafo da Universidade Técnica Nacional de Atenas - NTUA. Trabalhou, durante alguns anos, como fotógrafa freelancer em Atenas.

A sua primeira exposição individual teve lugar em 2008, no café-galeria "Mystique", no Luxemburgo, tendo como tema "Nude" - uma abordagem geométrica do corpo humano. Em 2009, organizou uma segunda exposição no Parlamento Europeu sobre o tema político “Horizons à part” - fotografias e textos relacionados com a "linha verde" em Nicósia, Chipre. Atualmente, Maria Bourbou participa no projeto coletivo online “Arteshop”.

O escritor grego Stamatiki Koutsogiannopoulou convida-nos a visitar esta mostra de uma forma muito especial: “ Feche um olho. Talvez não seja o que habitual fazer quando entra numa exposição de fotografia... Mas feche um olho e imagine que está a observar cada fotografia através de um microscópio, focando a lente nos detalhes. Quase de imediato terá a sensação de que estes detalhes são muito relevantes, omnipotentes!

E que, cada um, qual pequeno pedaço de mosaico, emana uma beleza natural, o dia a dia, a vontade de libertar tensões, a adoração do divino e do humano, a existência e a inexistência de riqueza, uma série de figuras em metal retorcido, uma estátua dourada que sobressai na rota de seda. Constituem o retrato de uma bela cidade.”

A exposição estará patente até 29 de julho de 2016 e poderá ser visitada todos os dias úteis, entre as 9h30 e as 13h30 e entre as 14h30 e as 18h30, na Avenida da Liberdade, nº 270, em Lisboa. A entrada é gratuita.

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.