Moçambique: Exposição- Património Arquitetónico Modernista da Cidade da Beira

Publicado em sexta, 12 agosto 2016 16:01

É inaugurada no dia 18 de agosto de 2016, às 18h00, na Galeria do Camões − Centro Cultural Português - Polo na Beira, a exposição Património Arquitetónico Modernista da Cidade da Beira.

Organizada pelo CCP – Beira e pela Faculdade de Arquitetura e Planeamento Físico da Universidade Eduardo Mondlane (UEM), em parceria com o Curso de Arquitetura da Universidade Zambeze, a Casa Provincial de Cultura de Sofala e o Conselho Municipal da Beira, esta exposição gravita em torno do valioso património arquitetónico modernista desta cidade, tendo como objetivo a sua divulgação e valorização.

O período Moderno é um dos mais característicos da cidade que, em meados do século XX, foi o “estaleiro” criativo de uma geração de arquitetos notáveis, como é o caso, por exemplo, de João Garizo do Carmo, Paulo de Melo Sampaio, Francisco José de Castro, João José Malato, Bernardino Ramalhete, Luís Vasconcelos, Francisco Castro.

A exposição é composta por 20 painéis, que apresentam, por um lado, o historial arquitetónico da Beira, com foco no período Moderno, e, por outro, aprofundam oito dos vários edifícios que se enquadram nesta corrente artística: a Igreja do Alto da Manga, a Casa dos Bicos, o Palácio dos Casamentos, a Estação dos Caminhos-de-Ferro, o complexo Tropicana, o auditório municipal NovoCine e os prédios Scala e Náuticos.

Estes mesmos edifícios são ainda apresentados em maquetes, produzidas por artistas e artesãos da Casa Provincial de Cultura de Sofala (numa vertente mais criativa / artística) e por estudantes do Curso de Arquitetura da Universidade Zambeze (numa vertente mais técnica).

Com um duplo objetivo (divulgar este património arquitetónico junto dos beirenses, seus legítimos proprietários, e refletir sobre a influência que essa arquitetura tem na forma como os utilizadores / habitantes se apropriam dos espaços), a exposição proporciona ao visitante, como se explica no catálogo da exposição, “uma experiência de dialética, de marcado contraste entre os elementos arquitetónicos ‘eruditos’ dos edifícios e os aspetos da sua vivência, do seu lado ‘popular’”.

A exposição estará patente na Galeria do CCP – Beira de 18 de agosto a 9 de setembro, como forma de assinalar o Dia da Cidade (20 de agosto) e integrar a programação do IX Festival Nacional de Cultura (24 a 28 de agosto).

Além da exposição, está prevista uma visita-guiada a este património, a ter lugar na tarde do dia 19 de agosto, orientada pelo Arquiteto Remígio Chilaule, da UEM, seguindo um itinerário estudado especificamente para este efeito.

Os interessados em participar na visita-guiada deverão proceder à sua inscrição previamente (as vagas são limitadas) no CCP – Beira (Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.; 23 323 588).

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.