Espanha: Saramago «multidisciplinar» em jornadas realizadas em Vigo

Publicado em quarta, 16 novembro 2016 18:38

Um vasto programa, que compreende conferências, comunicações, debates, performances e exposições dá corpo às I Jornadas José Saramago em Vigo, organizadas pela Cátedra Internacional da Facultade de Filoloxía e Tradución (FFT) da Universidade daquela cidade galega que tem como patrono o Prémio Nobel da Literatura de 1998 e pelo Camões – Centro Cultural Português em Vigo.

As múltiplas iniciativas previstas, que decorrem até 22 de novembro de 2016, apresentam, segundo os organizadores, um «caráter multidisciplinar» e destinam-se «ao público em geral e, muito em particular, quer às alunas e aos alunos da Universidade de Vigo quer a estudantes de outras universidades e escolas».

As jornadas têm assim «uma componente simultaneamente didática e de cidadania, com diferentes grupos de estudantes de Língua Portuguesa e de Estudos Lusófonos da Universidade de Vigo envolvidos na [sua] preparação» e nos debates, referem os organizadores.

Destaque para o ‘Grupo F’, composto por estudantes da FFT e por artistas de Vigo, que realiza duas performances, com o título Campo de Batalha, inspiradas no livro O Ano de 1993 de José Saramago, «partindo da ideia saramaguiana de que ‘nenhum lugar é suficientemente belo na terra para que doutro lugar nos desloquemos a ele’».

As jornadas mostram ainda exposições sobre os fundos da Biblioteca da FFT relativos à obra de José Saramago, sobre o making off da curta-metragem A Maior Flor do Mundo, sobre os 30 anos da edição do romance A Jangada de Pedra e sobre outros temas relacionados com a obra do escritor português.

As conferências plenárias das jornadas, por seu lado, abordam, entre diversos temas, os 30 anos A Jangada de Pedra: Transiberismo e Transatlantismo em José Saramago, por Burghard Baltrusch, professor de Literaturas Lusófonas da Universidade de Vigo, onde é presidente da I Cátedra Internacional José Saramago (CJS) e coordenador do Programa de Doutoramento Interuniversitário em Estudos Literários; Literatura e Direito em José Saramago, por Carlos Nogueira, investigador do Instituto de Estudos de Literatura e Tradição da Universidade Nova de Lisboa e diretor da CJS, Saramago, paródia e literatura, por José Cândido de Oliveira Martins, professor associado da Universidade Católica Portuguesa (Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais), na área da Literatura; a curta-metragem A máis grande flor do mundo, por Chelo Loureiro, gestor cultural que se dedica em exclusivo ao setor audiovisual; isto para além de numerosas comunicações da autoria de estudantes da Universidade de Vigo.

Com estas jornadas, os organizadores pretendem cumprir «o primeiro grande objetivo da I Cátedra Internacional José Saramago, que é o estudo e a difusão da obra e do pensamento do autor de A Jangada de Pedra» e, ao mesmo tempo, concretizar «os três principais eixos da ação universitária, que são também os grandes eixos da CJS: docência, investigação e atividades de extensão».

Programa

 

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.