Seminário Diplomático 2017 no Museu do Oriente

Publicado em segunda, 09 janeiro 2017 07:40

O Comissário Europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, abriu no dia 4 de janeiro de 2017 o Seminário Diplomático, iniciativa anual do Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) que reuniu em Lisboa, diplomatas portugueses, governantes e sociedade civil.

A sessão de abertura do encontro de dois dias, que decorreu no Museu do Oriente, coube ao Comissário Europeu e ao Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, que na sua intervenção expôs os principais temas e objetivos da diplomacia portuguesa em 2017.

O chefe da diplomacia portuguesa afirmou que Portugal tem "responsabilidades acrescidas" na sua participação nas Nações Unidas, cujo secretário-geral é António Guterres, e deve ter uma contribuição "de primeiro plano", nomeadamente quanto aos direitos humanos.

Augusto Santos Silva referiu que "quanto mais incerta é a situação mundial”, mais necessário é o multilateralismo e Portugal "tem de ser cada vez mais ativo na sua promoção".

O governante recordou o discurso de António Guterres, em dezembro, no parlamento português, quando advogou que "Portugal tem autoridade moral para mobilizar um conjunto alargado de Estados para que a agenda de direitos humanos volte a progredir".

Portugal, apontou Santos Silva, defende a "interdependência das liberdades pessoais e dos direitos civis e políticos e dos direitos económicos, sociais e culturais", valoriza os direitos humanos "por si mesmos e não como instrumentos de pressão, de jogo ou cálculo político" e porque recusa posições de "superioridade moral e arrogância cultural".

Este ano, Portugal tem duas candidaturas internacionais, nas quais o ministro disse estar confiante: ao conselho executivo da UNESCO e à Comissão de Limites da Plataforma Continental.

Durante o primeiro dia deste seminário, os embaixadores portugueses participaram em sessões de trabalho com Augusto Santos Silva e os quatro secretários de Estado do MNE – Assuntos Europeus; Negócios Estrangeiros e Cooperação; Comunidades Portuguesas e Internacionalização -, e ainda com o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, e a diretora-geral da Web Summit, Sarah Mortell.

Ainda no primeiro dia de trabalhos, foi entregue o prémio “Francisco de Melo e Torres – Diplomata do Ano”, atribuído pela Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, que nesta edição (a quarta) distinguiu o Embaixador português em Pequim, Jorge Torres Pereira.

"Cooperação nos dias de hoje - desafios e tendências" foi o tema do painel realizado quinta-feira, dia 5, com a Secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Teresa Ribeiro e o Diretor do Departamento de Cooperação para o Desenvolvimento da OCDE, Jorge Moreira da Silva, durante o qual foram apresentados os planos de ação do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. e da SOFID (Sociedade para o Financiamento do Desenvolvimento).

O Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva e o Ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, apresentaram a política de ação cultural externa.

O Seminário Diplomático foi encerrado pelo presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), Miguel Frasquilho, e pela secretária-geral do MNE, Ana Martinho.

Com Lusa

 

Tópicos neste artigo:
Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.