Cluster da Cooperação Portuguesa na Ilha de Moçambique – Ação de Melhoria Educativa e Formativa da Escola Profissional da Ilha de Moçambique (EPIM)

Publicado em segunda, 27 novembro 2017 17:52

Encontra-se a decorrer desde o dia 16 de outubro de 2017 um estágio profissional para os alunos de Construção Civil da EPIM, agora designada Escola Média Politécnica da Ilha de Moçambique.

O estágio foi devidamente planificado em termos curriculares, transdisciplinares e incidiu em várias recuperações - fachada principal da escola, ferramentaria e, ainda, a adaptação e recuperação de uma sala normal a sala de informática. Esta última sala irá receber, da Cooperação Portuguesa, mobiliário específico, 14 computadores e uma impressora. Deste modo reforça-se o princípio de que as aulas práticas, a formação em contexto de trabalho e o estágio devem recair na produção de trabalho útil para a escola e para a comunidade.

Todas as técnicas utilizadas nestes trabalhos assentam nos métodos ancestrais de construção civil e decorrem de uma ação de formação ministrada em 2015, no âmbito do projeto Cluster, por especialistas portugueses em Restauro do Património Edificado.

No final do estágio os alunos irão elaborar um Relatório de Estágio que será apresentado e defendido perante um júri misto constituído pelo Diretor Adjunto Pedagógico da Escola, pelos professores responsáveis e acompanhantes do estágio e por elementos externos à escola (empresários locais) com atividade na área da Construção Civil.

No mesmo âmbito do apoio à EPIM, foram apresentados e socializados os normativos de funcionamento na escola de uma Unidade de Inserção na Vida Ativa (UNIVA), que foram aprovados. O funcionamento desta Unidade será também apoiado pela Cooperação Portuguesa.

Os parceiros participantes na reunião anual de avaliação do projeto Cluster, que decorreu nos dias 20 e 21 de novembro, incluindo a Diretora de Serviços de Cooperação do Camões – Instituto de Cooperação e da Língua, Sandra Magalhães, e o Conselheiro para a Cooperação, Miguel Girão de Sousa, tiveram oportunidade de verificar in loco o desenvolvimento destes trabalhos.

De referir que, nas sessões de abertura e de encerramento dos trabalhos da reunião anual de avaliação, os alunos da área de Mesa e Bar da EPIM, que também beneficiaram de uma formação específica ministrada por um especialista português, serviram, de forma muito profissional, um beberete a todos os convidados.

Esta componente 2 do projeto e todas as ações que nela se interligam é financiada pelo Camões – Instituto de Cooperação e da Língua e tem como entidade executora e cofinanciadora a Fundação Portugal-África.

 

 

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.