Portugal assina primeiro projeto no âmbito do Fundo Fiduciário da União Europeia para a Colômbia

Publicado em quinta, 14 dezembro 2017 09:11

O projeto “Territórios Sustentáveis para a Paz em Caquetá” foi assinado no passado dia 11 de dezembro, na residência da Embaixada de Portugal em Bogotá. Este evento teve por objetivo sublinhar que o projeto português foi o primeiro contrato a ser assinado no âmbito do Fundo Fiduciário da União Europeia para a Colômbia, onde um EM participou ativamente ao nível do planeamento e execução.

A cerimónia contou com a presença do Alto Conselheiro para o Pós-Conflito (Ministro Rafael Pardo), a Encarregada de Negócios a.i. da DELUE, o Vice-Presidente do Camões, I.P. (Gonçalo Teles Gomes), o Administrador do Fundo Fiduciário Europeu para a Colômbia, o Director da Agência Presidencial para a Cooperação (Andrés Uribe), o Gerente Administrativo da Federação Nacional de Cultivadores de Cacau (FEDECACAO), os Alcaides de La Montañita e El Paujil - onde decorrerá o projeto - bem como representantes do Governador de Caquetá, da Agência de Renovação do Território (ART) e do Ministério de Agricultura.

O documento foi assinado pelo Administrador do Fundo Fiduciário Europeu e pela representante da organização implementadora, Instituto Marquês Valle Flôr, servindo como testemunhas de honra o Ministro Rafael Pardo e o Embaixador de Portugal em Bogotá, João Ribeiro de Almeida.

O Embaixador de Portugal sublinhou que, com este projeto, o nosso país quis trazer para a Colômbia o que tem de melhor, porque o desejo de apoiar a paz duradoura e estável é um compromisso firme e inamovível da nossa parte. Transmitiu ainda a mensagem de que o mesmo projeto resultou de um trabalho esforço conjunto entre várias instituições portuguesas e colombianas, muitas delas presentes no evento, tendo o momento sido aproveitado para agradecer o seu empenho e dedicação. Foram também mencionadas as contribuições materiais da U.E., de Portugal (Camões, I.P.), das Autoridades de Caquetá, de empresas portuguesas como a Mota-Engil e a Jerónimo Martins, bem como do Fundo Galego para a Cooperação e Solidariedade e da “Agencia Extremeña de Cooperación Internacional para el Desarrollo”.

O Vice-Presidente do Camões, I.P., Gonçalo Teles Gomes, falou sobre o processo de elaboração do projeto - desde a criação do Fundo em dezembro de 2016, em Bruxelas - enfatizando o desejo imediato de Portugal, não só de contribuir financeiramente para o Fundo, mas também com projetos específicos, aproveitando a mais-valia da larga experiência da Cooperação Portuguesa. Mencionou ainda os pilares fundamentais do projeto: parceria com o Governo Colombiano e autoridades locais, trabalho conjunto com parceiros locais, envolvimento do setor privado e abertura a outras agências de cooperação europeias. A sua intervenção foi concluída com a expressão do empenho de Portugal neste país (“Portugal está com Colômbia, quer seguir com a Colômbia, quer apoiar a Colômbia”) e de que o projeto agora assinado será apenas o primeiro projeto da Cooperação Portuguesa neste país. Foi assim também anunciada a disponibilidade para atribuir bolsas de estudo a estudantes colombianos de Caquetá.

As autoridades locais agradeceram e mencionaram a sua satisfação com o cumprimento dos compromissos assumidos por Portugal naquele mesmo local, além de sublinharem os benefícios verificados nos seus territórios com o acordo de paz e o seu empenho total, não só neste projeto, como também em outras atividades que tragam o desenvolvimento e paz para as suas populações.

 

 

 

Tópicos neste artigo:
Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.