Luxemburgo: “Superstition Wilderness” - exposição de Pedro Vaz

Publicado em quinta, 26 abril 2018 16:04

A exposição “Superstition Wilderness”, de Pedro Vaz, em mostra no Camões - Centro Cultural Português no Luxemburgo de 9 de maio a 4 de julho de 2018 apresenta, pela primeira vez na Europa, um conjunto de trabalhos desenvolvidos em 2017, com base numa expedição às Superstition Mountains, no Deserto do Arizona, Phoenix, EUA.

As montanhas Superstition são um exemplo raro de como o ser humano constrói relações de poder em articulação com o meio, mesmo no silêncio profundo do deserto.

A mistura ambivalente de história real, lenda, e uma paisagem natural mantida inalterada por séculos, confluiu na escolha das montanhas Superstition para o desenvolvimento deste projeto, que refere o que dessa mistura se mantém percetível à superfície do solo, e cujo conhecimento em pessoa permite confirmar por que motivo as montanhas se chamam superstição.

Trata-se de uma paisagem que aparenta ter sido formada para cenário de eventos ficcionados e não reais. Uma visita permite provar que é real. Uma coisa ser verídica torna-a ainda mais fantástica, e aqui é esse o caso. A luminosidade é seca e ocre. Os catos que pontuam a paisagem parecem ter propriedades anímicas, ora multiplicados rente à superfície do solo, como acontece com o Cato Barril, ora em sentinela no horizonte como no caso de espécies monumentais como o Cato Sagueiro ou o Joshua. A sobrevivência humana é uma concessão a prazo, devido às temperaturas elevadas e secura extrema; neste ambiente, estes seres vegetais imóveis, por vezes antropomórficos, iludem ser habitantes animados, e de facto são-no, em forma vegetal e com um tempo mais lento que o humano, mas na genealogia direta das histórias fantásticas.

O trabalho de Pedro Vaz tem como tema central a criação de paisagem. No tempo em que vivemos, no qual a presença e observação remotas são quotidianas, a deslocação física a um determinado lugar apresenta uma pertinência renovada. Neste contexto, a prática de expedições tem vindo a ser essencial à pesquisa do artista.

O Projeto Superstition Wilderness partiu da residência Onloaded, desenvolvida no Phoenix Institute of Contemporary Art, Phoenix, EUA, em fevereiro e março de 2017. Deu anteriormente origem à exposição “Peralta to Boulder Kanyon”, no PHICA, Phoenix, e “Superstition Wilderness”, na Galeria Enrique Guerrero, Cidade do México.

 

 

 

 

 

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.