Angola: Revisitando Pepetela no Camões - Centro Cultural Português em Luanda

Publicado em terça, 03 julho 2018 00:11

Numa iniciativa do Camões - Centro Cultural Português em Luanda, foi criado um Núcleo de Leitura que revisita autores consagrados  de língua portuguesa,  através da leitura coletiva de trechos de algumas das suas obras e biografias. Este Núcleo de Leitura, com momentos interativos, conta com a participação de jovens, principalmente de estudantes universitários e pré-universitários. Em dois dias de cada mês, em alguns casos com a presença do escritor,  a sua obra e a biografia são revisitadas e analisadas.

Assim, na 6.ª Edição/julho de 2018 do “Escritor do Mês na Biblioteca Camões”, nos dias 9 e 30 de julho de 2018, será revisitada a obra do escritor, PEPETELA, um dos mais consagrados autores angolanos, com uma vasta obra publicada .

A obra de PEPETELA está indissociavelmente ligada à história de Angola, nos últimos 50 anos. Segundo o autor “(…) a minha geração foi privilegiada por ter tido que fazer opções dramáticas. Em contraponto encontramos outras gerações que perdem os objetivos ou que nunca chegam a ter algum, o que me parece um vácuo demasiado doloroso, simplesmente desumano. Por ter de fazer este tipo de opções (lutar ou não lutar contra a situação colonial, pegar em armas ou trabalhar no exílio frio, desertar ou continuar num exército de ocupação colonial). A literatura da minha geração está “contaminada” por essas opções pessoais.”

Pepetela, de seu nome próprio Artur Carlos Maurício Pestana dos Santos, nasceu em Benguela, em 1941. Licenciou-se em Sociologia, em  Argel, durante o exílio. Foi Comandante guerrilheiro do MPLA. Foi Vice-Ministro da Educação. Estreou-se como ficcionista com a obra “Muana Puo” em 1969. Em 1972 publicou “As Aventuras de Ngunga”, considerada uma pequena obra prima de literatura revolucionária, elaborada a partir de um conjunto exemplar de narrativas para escolarização e educação cívica dos pioneiros em plena guerrilha.  Em 1980  publicou “Mayombe”, escrito entre 1971/72, que conquistou o prémio da União dos Escritores Angolanos.  Depois disso Pepetela já publicou mais de vinte e duas obras, entre as quais, vinte romances e duas peças de teatro.

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.