França: Concerto «Tempos Históricos da Língua Portuguesa» comemora dia da língua

Publicado em sexta, 04 maio 2012 08:33

A Cátedra Lindley Cintra do Instituto Camões na Universidade de Paris Ouest Nanterre La Défense e o Leitorado de Paris 8 comemoram o dia da Língua Portuguesa com um concerto intitulado «Tempos Históricos da Língua Portuguesa».

O concerto terá lugar na Residência André de Gouveia da Cité Internationale Universitaire de Paris no dia 5 de maio, às 19h00, e contará com a presença de Manuela de Sá (programa e preparação vocal), José Manuel Brandão (piano e direção musical), Ana Amado (soprano) e Mariana Castello-Branco (soprano). O concerto contou ainda com a participação da Professora Doutora Esperança Cardeira da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa para a preparação das diferentes fonéticas do português ao longo dos tempos.


PROGRAMA

Fonética anterior aos Descobrimentos I

Bailada de moças – JOÃO ZORRO / F. FREITAS

Por Deus, ay Dona Lionor  D. DINIS / F. FREITAS

Cantar d’Amigo PEDR’EANNES SOLAZ / C. CARNEIRO

Leda dos amores – PÊRO MEOGO / F. FREITAS

Ay, froles do verde pino  D. DINIS / F. FREITAS


Fonética dos Descobrimentos II

Descalça vai para a fonte  CAMÕES / C. VASCONCELLOS

Pus meus olhos numa funda – CAMÕES / C. VASCONCELLOS

Na fonte está Lionor  CAMÕES / C. VASCONCELLOS

A formosura desta fresca serra  CAMÕES / F. BRANCO


Fonética do período Romântico e posterior III

Suspiro d’alma A. GARRETT / CARLOS GOMES

Floriram por engano as rosas bravas – C. PESSANHA / F. SOUSA

A estrella  A. GARRETT / V. MOTTA

Poveirinhos  António Nobre/ Fernando Lopes-Graça


Fonética português do Brasil IV

Irremediável Canção Ary de Andrade/ Cláudio Santoro

Bachiana I Ária Ruth. Corrêa/V. Lobos

Melodia sentimental – D. VASCONCELOS / V. LOBOS

Lundum da Marqueza de Santos Viriato Corrêa/ V. Lobos


O soprano Manuela de Sá é diplomado em Canto e Piano pelo Conservatório de Música do Porto, onde trabalhou com Isabel Mallaguerra e Teresa Xavier. Em 1981 recebeu o prémio Eng. António de Almeida, como melhor finalista de Canto. No mesmo ano torna-se professora no Conservatório Calouste Gulbenkian de Braga. Em 1982, como bolseira da S.E.C. (Secretaria de Estado da Cultura) prossegue os seus estudos na Escola Superior de Canto de Madrid com Lola Aragón e Ana Higueras. Torna-se membro do Grupo de Música contemporânea de Lisboa e participa nos Encontros de Música contemporânea da Fundação Calouste Gulbenkian. Desde 1985, apresenta-se em Festivais portugueses – Festival da Figueira da Foz, Festival de Outono et Festival do Algarve – e internacionais – Madrid, Alicante, Toulouse, Turim, Siena, Bruxelas, Gand, Lovaina e Luxemburgo. Colabora em recitais do ACARTE, Museu de Arte antiga, Museu Gulbenkian, Teatro de S. Luis e Teatro de S. Carlos, Comissão para as Comemorações dos Descobrimentos, Fundação de Serralves e realiza gravações para a RTP e RDP. Desde 1967 até ao momento, é Professora de Canto no Conservatório Nacional de Lisboa, onde coordena o departamento da disciplina há 12 anos. Em 1991 gravou «In-Curso» de Miguel Graça Moura. Desde 1995, tem realizado investigações sobre a voz com a terapeuta Clara Liz Cruz e o otorrinolaringologista Dr. Ezequiel Barros. Em 1997, publicou Segredos da Voz. No mesmo ano gravou um CD do Portucale Ensemble e apresentou-se em Macau, Califórnia e Açores com este repertório de música portuguesa. Realiza regularmente Cursos de Formação para Professores de Canto.

José Brandão nasceu no Porto, onde realizou os seus estudos de piano com Helena Sá e Costa. Concluiu o diploma em 1986, pelo Conservatório desta cidade e recebeu o segundo lugar ex-æquo do Concurso Nacional de Piano da Juventude Musical Portuguesa. É licenciado em Ciências Musicais pela Universidade Nova de Lisboa. Na Guildhall School of Music and Drama de Londres realizou uma pósgradução de Acompanhamento ao Piano. Recebeu os prémios de melhor pianista acompanhador dos concursos John Ireland’95 e Schubert Lieder’96. Na Guildhall, estudou com Graham Johnson, completando o seu aperfeiçoamento em acompanhamento vocal com Paul Hamburger, Martin Katz e Ruben Lifschitz. Realizou também um Master em Música (Piano/Música de Câmara) pela Universidade de Aveiro, com uma tese sobre as canções de Filipe de Sousa. É professor na Escola de Música do Conservatório Nacional de Lisboa e na Escola Superior de Música de Lisboa. Apresenta-se regularmente no Centro Cultural de Belém, no Teatro São Luiz, na Fundação Calouste Gulbenkian – Delegação em França, na Ópera de Lille, entre outros locais.

Ana Amado tem o diploma de Canto da Escola de Música do Conservatório Nacional de Lisboa, onde estudo com a Professora Manuela de Sá, tendo obtido nota máxima. No ateliê de ópera da referida escola interpretou Grilleta, Lo Speziale, de Haydn; Agathe, Der Freischütz, de Weber (com direção de Paula Gomes Ribeiro e José Manuel Brandão); Belinda, Dido e Eneias, de Purcell (com direção de Carlos Avilez); Hanna, Die lustige Witwe, de Léhar (com direção de José Manuel Araújo). Frequentou Masterclasses com Ronny Lauwers (interpretação cénica), Graham Johnson (repertório de canção), L.S.Tuan, Marimi del Pozo, Sarah Walker, Yvone Minton, Susan McCulloch (canto). Em 2005/2006 integrou o projeto Concerto Primavera – organizado pelo Rotary Club Lisboa Estrela e o Concurso de Canto – As vozes do Futuro - organização do Rotary Club Lisboa Estrela e do Rotary Club Cascais Estoril, e participou ainda no 43º Curso Internacional de Música do Estoril. No ano seguinte, foi uma das finalistas do 1ºConcurso de Canto Lírico da Fundação Rotária Portuguesa. Em 2007/2008 participou no 1º Concurso de Canto dos Conservatórios Oficiais onde obteve uma Menção de Honra. Faz parte de um projeto de Lieder de Schubert, Brahms e Mendelssohn, a solo e em duo, acompanhados com guitarra e piano, com o qual realizou concertos em Lisboa e Cascais, transmitidos pela Antena 2. Participou na Grande Gala de Canto no Teatro São Luiz. Em 2010 recebeu o 3º Prémio no 4º Concurso Nacional de Canto Lírico da FRP. Estuda atualmente no Royal Conservatoire of Scotland. Tem um Master em Ciências Farmacêuticas pela Universidade de Lisboa.

Mariana Castello-Branco, soprano, nasceu em Lisboa e iniciou os seus estudos musicais aos 6 anos na escola de música de N. Sra do Cabo em Linda-a-Velha na classe de piano da professora Paula Moniz. Em 2004 ingressou na EMCN na classe de canto da professora Manuela de Sá, com quem estudou até 2010 tendo assim concluído o curso complementar de canto. Como aluna da escola efetuou masterclasses com os maestros João Paulo Santos e Armando Vidal, e trabalhou frequentemente sob a orientação do pianista José Manuel Brandão. Participou ainda na iniciativa Foyer Aberto de ópera do Teatro Nacional de São Carlos em Junho de 2010. Trabalhou no decurso do Early music Summer Course em Tomar com Jill Feldman e em 2011 fez parte do elenco da ópera L’enfant et les sortiléges de Ravel, com as personagens Princesse e Roussignol, numa produção do Atelier de Ópera do Conservatório Nacional, com digressão nacional. É membro do Coro Gulbenkian desde Setembro de 2009 e é também reforço no Coro do Teatro Nacional do São Carlos desde Junho de 2011. Trabalhou recentemente com Luccia Mazzaria e Susan Waters para aperfeiçoamento artístico e técnico, respetivamente. Foi finalista do concurso de Canto da Fundação Rotária Portuguesa em 2011.




Tópicos neste artigo:
Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.