Angola: Fotógrafa Portuguesa expõe "As Sombras e a Luz" em Luanda

Publicado em quinta, 19 julho 2012 08:05

Com objetivo de tornar o jazz mais conhecido em Angola, terá lugar a 20 de julho, no Instituto Camões, Centro Cultural Português, em Luanda, uma exposição de pintura da fotógrafa portuguesa Rosa Reis, intitulada “Jazz: as sombras e a luz”.

De acordo com uma nota da autora, a amostra vai retratar a atualidade do jazz e será uma oportunidade importante para que o público amante da arte e ouros interessados possam conviver com os rostos que fazem a grandeza do jazz.

As imagens fotográficas a preto e branco têm uma experiência de limite no jazz na noite americana”, em que o foco de luz do fotógrafo-predador inventa os palcos minuciosamente definidos pela iluminação.

Segundo ainda a nota, a exposição ficará patente no Instituto Camões - Centro Cultural Português até 10 de agosto.

Esta exposição tem como curador o reconhecido crítico de jazz angolano e jornalista Jerónimo Belo.

Angop (Agência Angola Press)

Rosa Reis: Vinte e cinco anos de fotografia documental e autoral em ambientes de trabalho em que o homem, a memória e a luz são fonte de inspiração.

Em 1995 a revista “LEICA” publicou um portefólio de fotografias no Estaleiro da Lisnave.

O Ecomuseu Municipal do Seixal proporcionou uma relação mais íntima com o Património Industrial.

A Casa da Cerca – Centro de Arte Contemporânea de Almada estimulou a reprodução fotográfica de obras de arte.

Captou as emoções do Jazz relevando o prazer de ouvir e a relação dos músicos com o seu instrumento.

O Mestrado em Cultura Visual veio dar fundamento teórico a uma prática já longa.

Mais informação: http://www.rosareis.net

 

Jerónimo Belo nasceu em Luanda em 1948. Bibliotecário, documentalista, jornalista e promotor cultural trabalhou no Departamento de Documentação e Informação da Universidade Agostinho Neto (1973-1995) e na Delegação da Comissão Europeia em Angola (1995-2009).

Desde a juventude que se dedica com paixão ao estudo do jazz, promovendo a sua divulgação em Angola, em programas na RNA - “Raízes”, “Jazz no Calor da Noite”, “Triângulo do Mar”, na TPA onde entre 1987-2002 conduziu semanalmente o programa “Clube de Jazz-TPA”.

Atualmente conduz às segundas na hora do pôr do sol o espaço “Jazz–LAC”. Como crítico de Jazz tem participado em importantes festivais de Jazz pelo mundo.

É ainda ambientalista, para além de autor dos livros “Jazz – Geometria Variáve” (1991), Feijoada (1998) e Blues e a Poética contra a Indiferença (2005). Durante alguns meses escreveu também para o Novo Jornal.

 

 

Tópicos neste artigo:
Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.