Portugal: Formação Presencial em Gestão de Projetos

Publicado em terça, 04 setembro 2012 17:04

Vai decorrer em Lisboa, nos dias 7 e 8 setembro de 2012, na sede do Camões-Instituto da Cooperação e da Língua e no auditório 3 da Fundação Calouste Gulbenkian uma ação de formação presencial em gestão de projetos, orientada para os agentes culturais (colaboradores dos centros culturais, leitores e professores de português) que funcionam na rede externa do Camões, IP.

São oradores da formação, no primeiro dia, António Pinto Ribeiro, Programador-Geral do Programa Próximo Futuro, Fundação Calouste Gulbenkian, com uma intervenção subordinada ao tema PENSAR A CULTURA e Ana Paula Laborinho, Presidente do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, que fala sobre a CULTURA EM CRISE. No primeiro dia, ocorre ainda, uma sessão de trabalho sobre gestão de projeto orientada pelas formadoras Cecília Folgado e Alexandra Pinho.

No segundo dia, os trabalhos vão desenrolar-se no auditório 3 da FG, Ticio Escobar (Assunção, 1947) e Abdelwahab Meddeb (Tunes, 1946) são os convidados para este ciclo das “Grandes Lições”, numa linha de programação que privilegia pensadores da América do Sul, África e Europa. Ticio Escobar falará sobre o futuro da arte popular indígena num contexto de globalização e a capacidade de sobrevivência das culturas tradicionais na contemporaneidade. O franco-tunisino Abdelwahab Meddeb, crítico do fundamentalismo islâmico, irá falar sobre a liberdade que se perspetiva para o futuro, tendo em conta o conflito entre secularismo e islamismo. A sessão é moderada por António Pinto Ribeiro.

Mais informação sobre as Grandes Lições: http://www.proximofuturo.gulbenkian.pt/

 

Programa

Dia 7 setembro, auditório (Rua Rodrigues Sampaio, 113), Camões, IP, Lisboa

Manhã:

10h30 – BOAS VINDAS, Apresentação Camões, IP.

11H00 – PENSAR A CULTURA, Dr. António Pinto Ribeiro, Programador-Geral do Programa Próximo Futuro, Fundação Calouste Gulbenkian.

Tarde:

15H00 – Sessão de trabalho sobre gestão de projeto – comunicação, Dra. Cecília Folgado, formadora, e Dra. Alexandra Pinho.

17H30 – CULTURA EM CRISE, Prof.ª Doutora Ana Paula Laborinho, Presidente do Camões, Instituto da Cooperação e da Língua, IP.

Dia 8 setembro, auditório 3 da Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa

Tarde

15h00 – GRANDES LIÇÕES:

Après le printemps de Tunis : L’avenir de la liberté à l’aune du conflit entre séculiers et islamistes, por Abdelwahab Meddeb

Cultura y arte popular: más allá de la memoria, por Ticio Escobar

Moderação por António Pinto Ribeiro

 

NOTAS BIOGRÁFICAS

ABDELWAHAB MEDDEB (Tunes, 1946):

Poeta, romancista, tradutor, ensaísta e editor do jornal Dédale foi, em 2005, curador da exposição “West by East”, no Centro de Cultura Contemporânea de Barcelona, que reuniu obras de arte antiga e contemporânea, procurando relacionar a sociedade ocidental com o mundo árabe. É autor de vinte livros e professor de Literatura Comparada na Universidade de Paris X-Nanterre. Irá ler em francês (com tradução para inglês) excertos do seu romance “White Traverses of the Past”. Vive em Paris desde 1968.

TICIO ESCOBAR (Assunção, 1947):

Curador, professor, crítico de arte e promotor cultural é autor da Lei Nacional de Cultura do Paraguai. Diretor do Museo de Arte Indígena, Centro de Artes Visuales (Assunção) e ex-Presidente National Sections do Paraguai, na Associação Internacional dos Críticos de Arte. Foi Ministro da Cultura do Paraguai (2008-2012). Tem recebido, desde 1984, várias distinções internacionais pelo seu trabalho, destacando-se o reconhecimento por parte da Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA, 2011), pelas contribuições extraordinárias no campo da crítica internacional. Publicou mais de dez livros sobre arte indígena, popular e contemporânea, entre os quais podemos encontrar “Una interpretación de las artes visuales en el Paraguay” (em dois volumes1982 e 1984); “El mito del arte y el mito del pueblo” (Assunção, 1986, Santiago de Chile, 2008), “Misión: Etnocidio” (Assunção, 1989), “La belleza de los otros” (1993), “La maldición de Nemur” (Assunção, 1999, Universidades de Murcia e Pittsburgh, 2008), “El arte fuera de sí” (Assunção, 2004, Valencia, 2010) e “La mínima distancia” (Havana, 2010). Na imprensa inclui “La invención de la distancia” (AICA).

 

 

Tópicos neste artigo:
Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.