Cabo Verde: Feira da Palavra desafia cabo-verdianos a ler

Publicado em quarta, 12 dezembro 2012 19:10

A cidade da Praia, em Cabo-Verde, vai viver dez dias dedicados à literatura, de 13 a 22 de dezembro, durante a Feira da Palavra, a decorrer no Plateau. Nesta segunda edição do evento estarão presentes mais de 30 editoras nacionais e estrangeiras, com um total de cerca de 2 mil títulos diferentes, com especial destaque para os livros técnicos.

O objetivo da iniciativa é “desafiar o público cabo-verdiano a desenvolver o hábito de leitura, a reler e a relembrar as edições e os nomes sonantes da nossa literatura, ouvindo as vozes poéticas e eruditas que não se calam”, de acordo com o comunicado do Ministério da Cultura.

Entre as diversas entidades envolvidas, destaca-se a estreia de três editoras portuguesas: a Almedina, a Porto Editora e a Bisturi. A Fundação Calouste Gulbenkian, o Centro Cultural Português, o Institut Français, o Centro Cultural Brasil-Cabo Verde e a União Latina são outros dos intervenientes nesta edição da Feira da Palavra.

O Centro de Língua Portuguesa vai integrar no evento com uma mesa-redonda sobre "O Acordo Ortográfico - A estrutura, implementação e desdobramento", que decorrerá no Instituto Internacional da Língua Portuguesa, no dia 19 de dezembro, às 18h00. Nos dias seguintes, 20 e 21 de dezembro, será dada a oficina "Quem Conta um Conto", ficando o último dia do festival reservado para a apresentação dos projetos desenvolvidos no âmbito do "Sapatinho de Palavras".

A feira arranca oficialmente a 13 de dezembro, sendo que hoje, 12 de dezembro, será lançado o livro “A Morte em Santiago”, de Arlindo Mendes, como evento de antecipação da Feira da Palavra. Para a cerimónia de abertura oficial está prevista a presença do Ministro da Cultura, Mário Lúcio Sousa e do Presidente do Instituto da Biblioteca Nacional e do Livro.

Programa

 

 

Tópicos neste artigo:
Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.