França: Fest’afilm 2012 registou a maior adesão de sempre, segundo balanço

Publicado em segunda, 21 janeiro 2013 17:50

Na sua 5ª edição, e em ano de estreia do Prémio Camões para Melhor Curta-Metragem, o Fest’afilm – Festival Internacional de Cinema Lusófono e Francófono de Montpellier - registou a maior adesão de sempre, cerca de 1180 espetadores, segundo balanço da organização.

Entre os dias 29 de novembro e 2 de dezembro de 2012, o Fest’afilm marcou o panorama cultural de Montpellier. Nas oito salas de projeção destinadas ao festival foram exibidas 105 longas-metragens, curtas e documentários. Os interessados na sétima arte tiveram ainda oportunidade de assistir a uma masterclass, dois debates e três encontros entre realizadores e público.

Para além das mostras de cinema lusófono e francófono, o Fest’afilm estendeu-se a outras artes e promoveu um concerto de música brasileira, um espetáculo de teatro em português e uma exposição sobre o Fado.

Com a colaboração do Camões, IP, organizaram-se diversas iniciativas em torno da cultura portuguesa. Assim, António Costa Valente, diretor do festival de cinema de Avanca, presidiu ao júri do Fest’afilm e conversou com o público sobre o estado do cinema português.

O crítico e cineasta Lauro António participou em debates subordinados ao tema do Fado no cinema lusófono. O contacto do público com este estilo de música foi ainda reforçado com uma exposição sobre o Fado, cedida pelo Camões, IP, e que esteve patente em Montpelier durante 10 dias.

“Iluminados”, do brasileiro Daniel Alemar, ganhou o Prémio Camões da Melhor Curta-Metragem Lusófona de 2012, pela primeira vez atribuído pelo Fest’afilm. O festival atribuiu ainda o Prémio Amadis da Melhor Montagem à película “Alfama” do português João Viana.

O júri, constituído por António Costa Valente, pelos franceses Romain Cauchois (realizador), Julien Darve (jornalista e crítico de cinema) e Cédric De Wavrechin (professor de montagem, infografia e motion design), entregou também o Amadis da Melhor Fotografia a uma outra produção lusófona, “Não deixe Joana Só”, da brasileira de Cecília Engels.

As restantes obras galardoadas no Fest’afilm foram “Nuit blanche”, de Samuel Tilman - Bélgica (Amadis da Melhor Curta-Metragem), “Macadam peau rogue”, de Arnaud Matherbe - Quebeque (Amadis Prémio Especial do Júri), “Je vous prie de sortir”, de Valérie Théodore (Amadis do Público para a Melhor Curta-Metragem). Na categoria de animação venceu “Le bûcherons des mots, de Izù Troin” – França (Amadis para a Melhor Curta-Metragem de Animação e Amadis do Público para a Melhor Curta-Metragem de Animação). “On ne mourra pas”, de Amal Kateb – França, ganhou o Amadis para o Melhor Cenário.

O Festival Internacional de Cinema Lusófono e Francófono de Montpellier foi criado em 2008 pela Associação Cultural Lusófona de Montpellier, Casa Amadis, por iniciativa do Ferdinand Fortes, diretor e fundador do Fest'afilm.

Programa

 

 

Tópicos neste artigo:
Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.