Suécia: Livros portugueses encenados em “Noite da Literatura”

Publicado em quinta, 11 abril 2013 09:51

As obras “Trás-os-Montes e “Corro para a eternidade” representam Portugal na Noite da Literatura em Malmö (sul da Suécia), uma iniciativa da Rede Europeia de Institutos Culturais (EUNIC), que se realiza a 9 de maio de 2013, pelas 18h, no Moriska Paviljongen (Norra Parkgatan, 2, Folkets park).

O evento consiste na encenação, por atores suecos, de excertos de obras, recém-publicadas ou em vias de publicação, assinadas por novos autores oriundos de Estados-Membros da União Europeia. A Embaixada de Lisboa em Estocolmo, com o apoio do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, assegura a participação portuguesa nesta iniciativa.

Nesse sentido, “Trás-os-Montes”, de Tiago Patrício, título vencedor em 2011 do prémio literário Agustina Bessa-Luís instituído pela Estoril Sol, é uma das obras a encenar, a par de “Corro para a eternidade”, de André Oliveira, obra que homenageia o atleta Francisco Lázaro, escolhida por retratar o secular relacionamento bilateral entre Portugal e a Suécia.

Natural do Funchal, farmacêutico, 34 anos, Tiago Patrício, trabalha como dramaturgo com várias companhias de teatro, nomeadamente o Teatromosca (Sintra), Estaca Zero e Ponto Teatro (Porto). André Oliveira é diplomata, atualmente em funções na Embaixada de Portugal na Suécia.

No livro “Trás-os-Montes” conta-se a história de quatro crianças no coração de uma aldeia com duas igrejas, dois cemitérios, duas estações ferroviárias e um comboio a vapor que faz a sua última viagem. As crianças, com demasiado tempo livre depois das aulas, ficam na rua até ao anoitecer e as sombras ocupam-lhes os pensamentos.

Em “Corro para a eternidade”, ambição e a paixão caminham de mãos dadas pelas ruas da capital da Suécia no início do século passado (1912), alimentadas pelo sonho de Francisco Lázaro, o jovem carpinteiro de carroçarias de automóveis que desejou vencer a Maratona Olímpica de Estocolmo. Narra-se o percurso, pleno de emoções, de um atleta que acabaria por se tornar mítico, pela sua morte inesperada durante aquela competição. “Ou ganho, ou morro”, prometeu. Não ganhou. Mas também não morreu: conquistou a eternidade.

O romance de André Oliveira, a editar em Portugal pela Gradiva, será apresentado publicamente a 8 de junho de 2013 na Biblioteca/Museu Nacional do Desporto, em Lisboa. No próximo outono está prevista a sua edição na Suécia, pela editora Ekerlids Förlag, e em 2014 nos Emirados Árabes Unidos, pela editora Dar-Noon.

 

 

Tópicos neste artigo:
Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.