Brasil: Exposição de Rui Chafes no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro

Publicado em sexta, 26 abril 2013 15:22

A mostra de escultura “Carne Misteriosa”, com peças do escultor português Rui Chafes, abre ao público a 26 de abril de 2013, no MAM - Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, numa iniciativa apoiada pelo Camões, IP.

Entre as 87 obras de Rui Chafes inéditas no Brasil e expostas no Espaço Monumental do MAM, destaca-se a escultura “Dupla sombra o teu sangue e o meu“, criada especialmente paraesta mostra. As obras expostas pertencem a acervos públicos e privados portugueses e espanhois, e também à coleção pessoal do artista.

“Esta é uma exposição que tem por objetivo apresentar a obra de Rui Chafes, um dos mais importantes escultores portugueses da atualidade, para o público brasileiro, no Ano de Portugal no Brasil”, explica em comunicado o curador Marcio Doctors.

A montagem pensada pelo curador tirou partido da escala do Espaço Monumental do Museu, e criou o conceito de salas que servem de suporte, como pedestais, para algumas esculturas. Assim, as salas funcionarão como caixas brancas, com textos e pensamentos do artista, do curador e também do poeta romântico alemão Novalis.

 “Rui Chafes ao mesmo tempo é um escultor ferreiro e lida o tempo todo com as palavras. Chegou a traduzir para Português o filósofo alemão Novalis (1772 – 1801), e já publicou vários livros“, observa Marcio Doctors. “Aparentemente dois lugares opostos – o ferro e as palavras – estão presentes na obra dele. Ele é um apaixonado pelo romantismo alemão, e há referências a Nietzche em seu trabalho”, completa.

Inaugurada a 25 de abril, a exposição “Carne Misteriosa” está patente no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro até 16 de junho de 2013. De terça a sexta, das 12h às 18h. Sábado, domingo e feriado, das 12h às 19h.

A organização da mostra é da responsabilidade do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, patrocinada pelo Bradesco e apoiada pela Embaixada de Portugal no Brasil, o Camões – Instituto da Cooperação e da Língua I.P. e a Galeria Filomena Soares. 

 

Tópicos neste artigo:
Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.