ONU lança campanha para combater a homofobia e a transfobia

Publicado em sexta, 26 julho 2013 14:41

O Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (OHCHR) lançou a 26 de julho de 2013 a campanha Free & Equal (Livre e Igual), um projeto de educação pública global sem precedentes para promover a igualdade de lésbicas, gays, bissexuais e transexuais (LGBT).

Numa conferência de imprensa realizada na Cidade do Cabo, África do Sul, a Alta Comissária para os Direitos Humanos da ONU, Navi Pillay, acompanhada pelo arcebispo emérito Desmond Tutu e pelo Juiz Edwin Cameron, do Tribunal Constitucional Sul-Africano, anunciou o projecto que terá um ano de duração.

Uma declaração de apoio foi lida em nome da conhecida cantora sul-africana e Embaixadora da Boa Vontade da UNICEF para o combate à Malária, Yvonne Chaka Chaka.

"A Declaração Universal dos Direitos Humanos promete um mundo no qual todos nascem livres e iguais em dignidade e direitos - sem excepções, sem que ninguém seja deixado para trás", disse a Alto Comissária Pillay. "No entanto, ainda é uma promessa vazia para muitos milhões de pessoas LGBT forçadas a enfrentar o ódio, a intolerância, a violência e a discriminação em uma base diária."

"A mudança de atitudes nunca é fácil. Mas já aconteceu em relação a outras questões e está a acontecer já em muitas partes do mundo em relação a esta mesma questão. Ela começa com conversas muitas vezes difíceis ", disse Pillay. "E é isso que nós queremos fazer com esta campanha. “Livre e Igual” vai inspirar milhões de conversas entre as pessoas em todo o mundo e em todo o espectro ideológico. "

A campanha “Livre e Igual” tem como objetivo aumentar a consciencialização sobre a violência e discriminação homofóbica e transfóbica, e incentivar um maior respeito pelos direitos das pessoas LGBT. Ao longo do próximo ano, vai ser lançada uma série de conteúdos criativos na mesma linha conceptual de ‘The Riddle (o enigma), um vídeo divulgado pelo ACNUDH para o Dia Internacional Contra a Homofobia e Transfobia, e The Story of a Mother from Brazil (A história de uma mãe do Brasil), que é o primeiro de uma série de filmes com entrevistas aos familiares das pessoas LGBT em todo o mundo.

A campanha surge na sequência de um relatório OHCHR publicado em dezembro de 2011, que foi o primeiro relatório oficial da ONU sobre a violência e discriminação contra pessoas LGBT. O relatório documentou abusos generalizados dos direitos humanos. Hoje, mais de 76 países ainda criminalizam, relações homossexuais consensuais, enquanto em muitos mais a discriminação contra pessoas LGBT é generalizada - inclusive no local de trabalho, bem como nos sectores da educação e saúde.

A violência e a manifestação de ódio contra pessoas LGBT, incluindo agressão física, violência sexual e assassinato selectivo, foram registadas em todas as regiões do mundo.

A campanha centrar-se-á na necessidade de reformas legais e educação pública para combater a homofobia e transfobia.

Várias celebridades empenhadas em promover a igualdade deram o seu apoio a “Livre e Igual”, tornando-se campeões da igualdade da ONU e ajudando a espalhar mensagens e materiais de campanha através das redes sociais. Entre estes incluem-se o artista pop Ricky Martin, a cantora sul-africana Yvonne Chaka Chaka, a atriz de Bollywood Celina Jaitly e a cantora brasileira Daniela Mercury. Campeões da igualdade adicionais serão anunciados à medida que a campanha se desenrola.

Facebook: https://www.facebook.com/free.equal

Twitter:

Mais informações: www.unfe.org

 

 

Tópicos neste artigo:
Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.