Dia Internacional da Felicidade

Publicado em quarta, 19 março 2014 12:58

Na mensagem oficial do Dia Internacional da Felicidade, assinalado a 20 de março, o Secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, defende que é necessária “ação internacional e nacional concreta para erradicar a pobreza”.

Ban Ki-moon recordou que “os conceitos gémeos de felicidade e bem-estar surgem cada vez mais nas discussões internacionais sobre o desenvolvimento sustentável e sobre o futuro que queremos”. Para a ONU, as boas práticas de alguns países podem inspirar outros para que a contabilização do bem-estar se torne uma prática universal.

A celebração do Dia Internacional da Felicidade pretende reconhecer a importância da felicidade e do bem-estar enquanto objetivos e aspirações mundiais na vida de seres humanos em todo o mundo. Proclamado oficialmente pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 2012, este dia serve também para destacar a importância do reconhecimento da felicidade e do bem-estar nos objetivos das políticas públicas.

Mais informação sobre o Dia Internacional da Felicidade: http://www.un.org/en/events/happinessday/
Vídeo para o Dia Internacional da Felicidade: http://vimeo.com/89296683
 

Mensagem da ONU para o Dia Internacional da Felicidade:

Os conceitos gémeos de felicidade e bem-estar representam cada vez mais nas discussões internacionais sobre o desenvolvimento sustentável e sobre o futuro que queremos.

Muitos países estão a ir para além da retórica da qualidade de vida ao incorporar medidas práticas que promovem esses conceitos na sua legislação e formulação de políticas. Estas boas práticas podem inspirar outros países a fim de que a medição e contabilização de bem-estar mais amplo, e não apenas a produção nacional, se torne numa prática universal.

Felicidade pode ter significados diferentes para pessoas diferentes. Mas todos nós podemos concordar que significa trabalhar para acabar com o conflito, pobreza e outras condições lamentáveis em que muitos de nossos companheiros seres humanos vivem.

Felicidade não é uma frivolidade, nem um luxo. É um anseio profundo compartilhado por todos os membros da família humana. Deve ser negado a ninguém e deve estar acessível a todos. Essa aspiração está implícita na promessa da Carta das Nações Unidas para promover a paz, a justiça, os direitos humanos, o progresso social e melhores padrões de vida.

Agora é a hora de converter essa promessa em ação internacional e nacional concreta para erradicar a pobreza, promover a inclusão social e a harmonia intercultural, garantir meios de subsistência decentes, proteger o meio ambiente e construir instituições para uma boa governação. Estas são as bases para a felicidade e o bem-estar humanos.

 

 

Tópicos neste artigo:
Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.