'Boca a Boca: um solo para Gregório' com estreia marcada no Camões, I.P.

O espetáculo “Boca a Boca: um solo para Gregório”, com o baiano Ricardo Bitencourt, tem estreia marcada para o dia 10 de dezembro de 2015, às 18h00, no auditório do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P., em Lisboa, seguindo depois, ainda na capital portuguesa, para o Teatro da Comuna, entre os dias 11 a 13 de dezembro de 2015, antes de retornar ao Brasil para a sua tournée nacional.

Com direção de João Sanches, a obra procura reconhecer a importância do poeta baiano, que é considerado, por muitos teóricos, o primeiro escritor brasileiro efetivamente nascido no Brasil, em 1636.

Depois de ficar conhecido como “Boca do Inferno” e “Boca de Brasa”, pelas críticas ferozes que fazia nas suas poesias à sociedade do século XVII, Gregório foi preso e enviado para exílio em Angola. Conseguiu ser perdoado e voltar ao Brasil, mas com a condição de que morar no Recife e nunca mais voltar à Bahia, permanecendo até hoje banido da sua terra. “Queremos trazer Gregório de volta para a Bahia e mostrar o quanto ele é atual”, comenta Sanches. E ressalva: “queremos dar um solo para Gregório”.

Em cena, o ator Ricardo Bitencourt e o músico Leonardo Bittencourt promovem um verdadeiro recital em formato “show rock’n rol”. Entre declamações e narrações sobre a vida e obra de Gregório, a banda sonora terá canções que vão de The Doors a Caetano Veloso, passando por Nirvana, Ramones, Novos Baianos e Gilberto Gil. “Gregório é rock’n roll puro, pois ele tem essa atitude roqueira da contestação. Isso sem contar que ele é pop – por isso, o repertório socorresse de estrelas da MPB e do Rock internacional”, explica Sanches.

Para Ricardo Bitencourt, o espetáculo é rápido, dinâmico e apresenta o texto de Gregório como grande protagonista. “Eu sou um agente do discurso do poeta e um porta-voz da poesia dele”, explica, ressalvando que «são os “eus” líricos de Gregório que aparecem durante as declamações».

O espetáculo apresenta um conjunto de quarenta poemas ou trechos de poemas de Gregório de Matos, que são divididos não de forma cronológica, mas, sim, por temas, como a sátira de costumes, o sexo, a religião e a crítica ao Governo. Intercalando os blocos de temas, há pequenos comentários narrativos que contextualizam e associam aquela produção literária a momentos da vida do poeta. Com agilidade e no ritmo do repertório musical, Ricardo Bitencourt divide-se entre o narrador e as múltiplas facetas do declamador.

A organização do espetáculo resulta de uma parceria entre o Theatro XVIII e a Sole Produções, apoiado pela Funarte - Ministério da Cultura e pela Fundação Gregório de Matos em parceria com a Prefeitura Municipal de Salvador.

Antes da estreia em Portugal, os soteropolitanos, conterrâneos de Gregório, terão a oportunidade de assistir em primeira mão ao espetáculo no dia 26 de novembro de 2015, às 19h00, no recentemente inaugurado Teatro Gregório de Matos, na Praça Castro Alves, em Salvador da Bahia. Esta apresentação será um ensaio aberto e tem entrada gratuita.

A entrada para a estreia no Camões, I.P é gratuita, e informação completar sobre o espetáculo poder ser consultada aqui.

 

 

 

 

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.