Exposição de arte inaugura Semana Europeia de Luta Contra a Dor

As 20 melhores fotografias do II Prémio de Arte Grünenthal, subordinado ao tema “Que a Dor não seja mais do que uma recordação”, vão estar expostas, de 9 de outubro a 9 de novembro de 2012, na sede do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, Avenida da Liberdade, 270 (Marquês de Pombal) em Lisboa. A exposição pode ser visitada de segunda a sexta-feira das 9h30 às 18h30.

Os artistas portugueses José Mendes de Almeida, Ana Rito, Pedro Castro e José Ferreira estão entre os autores das 20 melhores fotografias a concurso, escolhidos por um júri de reconhecidos especialistas na área da dor crónica, em Portugal e Espanha, num total de 147 trabalhos apresentados.

Esta iniciativa, integrada nas comemorações da Semana Europeia de Luta Contra a Dor, tem como objetivo sensibilizar os portugueses para a dor crónica, através da observação e análise de 20 obras fotográficas, nas quais os seus autores espelham a sua perceção sobre a dor.

O júri do concurso foi composto pelo presidente da Associação Portuguesa para o Estudo da Dor, o médico Duarte Correia, pelo presidente da Sociedade Espanhola da Dor, o médico Manuel Alberto Camba, pelo Conservador-chefe do Museu Thyssen-Bornemisza, Guillermo Solana, pelo crítico de arte Óscar Alonso Melina, pela diretora da Feira de Arte Contemporânea de Lisboa, Ivânia de Mendonça Gallo, e pelos fotógrafos Pierre Gonnord e Alberto Schommer.

A dor crónica é uma situação de dor persistente, e se não for adequadamente tratada, a qualidade de vida das pessoas poderá ser gravemente afetada, podendo conduzir à incapacidade para o trabalho. Em Portugal a dor crónica afeta mais de 30 por cento dos adultos portugueses.

 

 

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.