Perspetivas Económicas da América Latina em debate em Lisboa

O Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, I.P., em colaboração com o Centro de Desenvolvimento da OCDE, organiza uma Mesa Redonda sobre as Perspetivas Económicas da América Latina, que terá lugar nas instalações do Camões IP (Palacete Seixas, Avenida da Liberdade, 270), no próximo dia 26 de junho, entre as 10h00 e as 11h30.

Nesta sessão será feita uma apresentação do Relatório “Perspetivas Económicas da América Latina 2013 (LEO”), dedicado ao tema “PME – Políticas para uma Mudança Estrutural”. Serão igualmente apresentadas e debatidas as conclusões preliminares do relatório de 2014, dedicado ao tema “Logística”.

A apresentação do Relatório de 2013 e das conclusões preliminares do Relatório de 2014 estará a cargo do Diretor do Centro de Desenvolvimento da OCDE, Mario Pezzini. Esta publicação da OCDE é uma referência sobre as tendências económicas, desafios e oportunidades da região da América Latina, constituindo um documento catalisador para as organizações que trabalham com aquela região do mundo.

Publicadas pelo 6º ano consecutivo, as Perspetivas Económicas na América Latina 2013 disponibilizam uma análise macroeconómica, com enfoque nas políticas das PME para a mudança estrutural. O conteúdo do relatório está disponível online www.latameconomy.org e www.cepal.org .

De acordo com a OCDE e CEPAL (Comissão Económica para a América Latina e Caraíbas), autores do Relatório “Perspetivas Económicas da América Latina 2013”, a principal mensagem a reter é a de que são necessárias novas políticas para as PME, a fim de impulsionar o crescimento da América Latina.

As PME representam uma maioria esmagadora das empresas privadas da região, correspondendo a 99% do tecido empresarial e empregando 67% dos trabalhadores. Considera-se pois que têm um importante papel a desempenhar na concretização do crescimento potencial da América Latina.

No entanto, a sua contribuição para o PIB e para a produtividade geral tem sido baixa: enquanto as grandes empresas na América Latina têm níveis de produtividade 6 vezes mais elevados do que os registados nas PME, esta diferença é de apenas 2.4 em países da OCDE.

Um problema comum das PME é o seu isolamento na estrutura produtiva, que as torna incapazes de aumentar a produção e de se especializarem.

O difícil acesso ao financiamento, a reduzida utilização das Tecnologias de Informação e de Comunicação (TIC) e o recurso limitado a mão-de-obra qualificada são apontados como alguns dos principais obstáculos enfrentados atualmente pelas PME na América Latina. Serão, assim, necessárias novas políticas nas áreas de inovação, finanças e tecnologias de informação e comunicação, bem como um aumento da formação dos trabalhadores e reduzir a inadequação de competências às necessidades do mercado de trabalho.

Esta sessão contará com a presença de representantes das Embaixadas da América Latina, de entidades portuguesas e do setor privado, com interesses e/ou intervenção nas áreas da cooperação económica ou cooperação para o desenvolvimento na América Latina.

 

 

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.