Exposição de pinturas do artista peruano Jorge Valdivia Carrasco no Palacete Seixas

O Camões – Instituto da Cooperação e da Língua e a Embaixada do Peru organizam uma exposição da vida e obra do pintor peruano Jorge Valdivia Carrasco, que inaugura dia 16 de Novembro de 2012 às 18h30, no Palacete Seixas (Av. da Liberdade, 270 – junto ao Marquês de Pombal).

Jorge Valdivia nasceu no Peru e vive na Alemanha há mais de três décadas. Desde muito jovem que se interessa pela pintura, exercendo sempre profissionalmente esta atividade artística. Com uma sólida formação e enorme criatividade a sua obra evoluiu em incessante busca de uma expressão própria, tendo atingido o seu trabalho um nível de qualidade e reconhecimento que lhe permitiu integrar a Associação Internacional de Artes Plásticas da Unesco em Paris.

Carlos Germán Belli, Prémio Ibero-americano de Poesia – Pablo Neruda, em 2006, dedicou a Jorge Valdivia um poema, publicado na revista de arte “Sibila 26” em Janeiro de 2008, que assim termina: “…De quien tiene delante un cuadro tuyo / Donde renace un clássico / Y el contemplador boquiaberto tórnase / En alguien que descubre al fin el arte.”

Carlos Germán Belli também referiu…Admirar os quadros de Jorge Valdivia Carrasco implica um ato duplo, como seja contemplar a arte de um mestre antigo e a arte de um mestre moderno: cada uma das suas obras é a representação de uma tela do primeiro, graças ao arguto pincel do outro. No entanto, esta dupla descoberta imediatamente deixa de o ser, sendo uma coisa só no gozo estético alcançado pelo contemplador, em cuja retina convergem o atraente cromatismo, a cuidadosa concepção das imagens, as alheias e as próprias, e um assombro infinito por tudo aquilo.

Creio que a admiração que Jorge Valdivia professa pelos seus mestres renascentistas é-nos por ele inculcada, ainda que nós apreciemos para além disso e com igual fervor a sua arte singular. Assombra-nos, quer pelo dom de reproduzir com fidelidade modelos pictóricos ancestrais quer pela ousadia de os transgredir com o fogo da sua fantasia, quer ainda por nos surpreender ao verificar que os estilos de um ontem longínquo podem constituir pontos de partida para outra arte, que nasce graças a um pintor tão exímio e tão imaginativo, que deveras poucos como ele existem hoje."

Esta exposição estará patente ao público até 14/12/2012, todos os dias úteis das 10h30 / 13h30 e das 14h30 / 17h30.

 

 

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.