Programa de Apoios do Instituto Camões

Artes do espectáculo, música, artes visuais, cinema, audiovisual e multimédia, arquitectura, design, literatura, projectos transdisciplinares

O Instituto Camões (IC) criou, em 2006, um Programa de Apoios que, além de procurar tornar mais operativos os níveis de resposta por parte da instituição, visa, fundamentalmente, enquadrar e potenciar a sua relação com o meio artístico profissional. Nesse sentido, no âmbito das competências de divulgação e promoção da cultura portuguesa no estrangeiro, o programa, actualmente em funcionamento, destina-se a promover iniciativas realizadas pelos diversos criadores e agentes culturais que, actuando no contexto internacional, aí desenvolvem os seus projectos e estabelecem as suas sinergias.

Número 121  ·   16 de Janeiro de 2008  ·   Suplemento do JL n.º 973, ano XXVII
Mindelact
Teatro Meridional-Mindelact-Cabo Verde

Deste modo, o Programa de Apoios tem como objectivo responder à crescente multiplicação de projectos que se desenvolvem no terreno profissional e constituem, hoje em dia, uma plataforma de circulação internacional das artes portuguesas que sofreu uma assinalável expansão e para a qual contribuíram diversos factores, como a integração de Portugal na UE, a maior mobilidade dos artistas e dos projectos, o diálogo criativo hoje realizado a uma escala global e o estabelecimento de redes e parcerias artísticas que, promovidas por diversos programas europeus (Caleidoscópio, Cultura 2000, entre outros), têm estimulado este tipo de relacionamento transnacional.

À Espera da Europa
À Espera da Europa

Por outro lado, os agentes culturais portugueses têm desenvolvido projectos no contexto da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), como resultado natural de proximidade em termos linguísticos e históricos, fomentados pela existência de programas oficiais que procuram dar continuidade a esse tipo de relacionamento.

André Guedes
André Guedes

Ao Instituto Camões era reconhecida uma actividade relativa nesta área, tendo em conta que a face mais visível da sua acção se centrava no ensino e difusão da língua portuguesa no estrangeiro. A implementação do Programa de Apoios veio legitimar no seio da comunidade artística, o reconhecimento de uma nova atitude por parte do IC, constituindo-se, neste momento, o referido programa como o mais significativo mecanismo institucional de apoio à apresentação de iniciativas culturais no estrangeiro, contribuindo de uma forma decisiva para a divulgação internacional da contemporaneidade portuguesa.

2nd Skin-Joalharia em Cortiça
2nd Skin-Joalharia em Cortiça
Embora o suporte financeiro se revele como a face mais visível do apoio do IC, existem diversos outros tipos de apoio que, embora de menor visibilidade, são determinantes para a concretização dos projectos. Situa-se, a este nível, toda a acção que é desenvolvida em conjunto com Embaixadas, Consulados, Centros Culturais, Centros de Língua e Leitorados, que juntos se empenham na articulação dos projectos, na sua divulgação e no impacto junto dos diferentes públicos.

Subterrâneos do Corpo
Subterrâneos do Corpo
O Programa de Apoios, cuja regulamentação está disponível no sítio do Instituto Camões na Internet, possibilita aos candidatos quatro prazos anuais para submissão de candidaturas à apreciação do IC. Essa apreciação é realizada internamente, com recurso a troca de informação com outros organismos públicos, nomeadamente a DG Artes e o Instituto do Cinema e Audiovisual, organismos com os quais o IC tem estabelecido bases sólidas em termos de cooperação institucional procurando, assim, determinar o interesse estratégico da iniciativa e o seu potencial, visando, também, a circulação internacional do maior número de projectos.

Rigo-MAC Niterói
Rigo-MAC Niterói
A diversidade cultural, a rápida transformação dos contextos, a necessidade de responder a essas transformações, a eficácia das políticas e a sua real adaptação ao meio artístico elevam as trocas de informação e as parcerias com os vários agentes envolvidos a meios fundamentais de conhecimento das acções que se desenrolam no terreno. Assim, assumindo o seu papel na viabilização das acções que contribuem para o reconhecimento qualitativo da cultura portuguesa e dos seus agentes no estrangeiro, o Instituto Camões entende que tal acção implica uma responsabilização mútua, tendo em conta a eficácia da aplicação de recursos e o crescimento e justificação do sentido de uma intervenção que se deseja cada vez mais efectiva, procurando a satisfação das expectativas dos artistas, dos agentes culturais, das diversas instituições envolvidas e dos públicos. 

De facto, só com o estabelecimento de verdadeiras parcerias tem sido possível responder ao interesse que a arte, os artistas e a cultura portuguesa suscitam em termos internacionais e que constitui, na sua essência, o objecto do Programa de Apoios.

Miguel Palma
Miguel Palma

Das candidaturas apresentadas ao Programa de Apoios de 2007, nas suas diferentes fases, cerca de 50% dos projectos submetidos a apreciação realizaram-se na Europa, 18% na América Latina e 10% na América do Norte.

Os países para os quais foram apresentadas maior número de propostas foram, em primeiro lugar, o Brasil, com 22% do número total, Espanha, com 12%, Itália, com 9% e, por fim, os E.U.A. e a Alemanha, ambos com 8%.

Das áreas artísticas abrangidas pelo Programa de Apoios, constata-se que o cinema foi aquela que maior número de candidaturas apresentou (18% do número total de candidaturas), sendo seguido de três outras áreas artísticas - teatro, dança e projectos interdisciplinares - com pesos de 12% cada, os quais representam, em conjunto, 36% do total. As artes visuais representaram 9% do número total de candidaturas.

Poderá consultar informações mais detalhadas sobre o impacto e avaliação do Programa de Apoios em Avaliação do Impacto e Dados Estatísticos

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.