UEM cria Cátedra com apoio do IC

Moçambique 

A Universidade Eduardo Mondlane (UEM), de Moçambique, vai criar uma Cátedra de Português Língua Estrangeira e Segunda (PLE-PL2), em associação com o Instituto Camões (IC), no âmbito de um Protocolo assinado no final de Março em Maputo pelo reitor da UEM, Filipe Couto, e a presidente do IC, Simonetta Luz Afonso.

Número 124   ·   9 de Abril de 2008   ·   Suplemento do JL n.º 979, ano XXVIII

Nos termos do Protocolo de Cooperação, que vigorará durante cinco anos e que foi assinado por ocasião da visita a Moçambique do Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, o Instituto Camões atribuirá um subsídio anual de 10 mil euros à nova Cátedra, cujas actividades apoiará.

Nos objectivos da Cátedra está o desenvolvimento da «investigação de ponta na área dos estudos sobre a aquisição do Português com o estatuto de Língua Estrangeira (PLE) e/ou Língua Segunda (PL2)», o que envolve, nomeadamente, as questões relativas à formação das variantes africanas do Português.

Pretende-se também «promover a emergência de investigadores e especialistas moçambicanos na área dos estudos sobre aquisição de Português como Língua Segunda e Estrangeira» e «participar no processo de internacionalização dos estudos sobre Português Língua Estrangeira (PLE) e Língua Segunda (PL2), particularmente no meio científico e universitário africano», bem como «contribuir para a difusão e a promoção dos Estudos em Língua Portuguesa em Moçambique, em Portugal, e na comunidade internacional, em geral, e africana, em particular».

O titular da futura Cátedra deverá ser um doutorado em Linguística Portuguesa e professor catedrático dos quadros da UEM, com «ampla e reconhecida experiência académica em instituições de ensino superior estrangeiras», coordenar de «projectos de investigação na área da Linguística Portuguesa e das variedades do Português, com um enfoque em questões didáctico-pedagógicas», segundo estabelece o Protocolo.

O Instituto Camões possui um leitor de Língua Portuguesa na Faculdade de Letras e Ciências Sociais da UEM, posição actualmente ocupada por Maria da Conceição da Silva Siopa.

Em Moçambique, o IC mantém também uma intensa cooperação com a Universidade Pedagógica (UP), entidade responsável pela formação de professores no país, através de um vasto Programa de Formação Contínua de Professores de Português para o Ensino Secundário, com um custo global estimado em cinco anos de cerca de 1,5 milhões de euros.

 

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.