A comunidade de Tugu

O leitorado de Língua e Cultura Portuguesa da Universitas Indonésia está a ministrar desde Fevereiro deste ano, sob a responsabilidade da Embaixada de Portugal e com o apoio do Instituto Camões, aulas de Língua Portuguesa a duas turmas compostas por elementos de Tugu, uma região a norte de Jacarta onde reside uma antiga comunidade de origem portuguesa.

Número 127   ·   2 de Julho de 2008   ·   Suplemento do JL n.º 985, ano XXVIII

«Em Tugu está estabelecida uma comunidade que se considera portuguesa e cuja origem na Indonésia remonta ao século XVII, após terem abandonado Malaca na sequência da conquista em 1641 daquela cidade malaia pelos holandeses e da consequente expulsão dos portugueses», lê-se no sítio da Embaixada de Portugal na Indonésia.

Esta comunidade de 350 famílias, que vive nas imediações do porto comercial de Jacarta e usa um «grande número de palavras e expressões portuguesas, restos do papiá kristang» trazido de Malaca, é um exemplo das remotas relações histórico-culturais entre Portugal e a Indonésia, as mais antigas entre uma potência europeia e aquela região da Ásia do Sudeste que os portugueses designaram no século XVI por Molucas

A comunidade de Tugu é famosa na Indonésia pelos seus três grupos de música Kerontchong. «Os temas que interpretam (Gatu du matu, Bate-bate porta, etc.), acompanhados por instrumentos de corda entre os quais o cavaquinho (aqui denominado "ikilela"), são geralmente dolentes e fazem lembrar música de Goa, mornas de Cabo Verde ou música dos Açores.»

No entender do embaixador António Pinto da França, último representante diplomático de Portugal na Indonésia antes da invasão de Timor pelas forças de Jacarta, em 1975, e um especialista na região, «a prevalência da influência portuguesa na Indonésia constituirá singular fenómeno no mundo da lusofonia. É-o, quer pela sua dimensão e profundidade, quer pela sua extensão geográfica detectável em vastas regiões daquele imenso País, quer pela sua diversidade, que abrange vestígios em áreas tão variadas como linguística, música, dança, traje, toponímia, patronímica, lendas, arquitectura, festividades religiosas e teatro.» (in Portugal e o Mundo: o Futuro do Passado, José Manuel Garcia, Lisboa, 2002).

De sublinhar ainda o facto de existirem mais de 2000 vocábulos portugueses, ainda vivos, na Língua Indonésia e em papiás e dialectos locais, segundo a leitora de Português na UI, que acrescenta existirem «factores comuns nas tradições e imaginários literários» dos dois países, «nomeadamente a nível da expressão poética».

No entanto, a invasão de Timor-Leste, em 1975, interrompeu esse relacionamento, só reatado em 1999 no quadro do processo que haveria de conduzir à recuperação da independência da antiga colónia portuguesa, a 20 de Maio de 2002.

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.