Imagens de um país que não sabemos se existiu

Exposição fotográfica Portugal visto por Estrangeiros no CCP do Luxemburgo

As imagens são simultaneamente belas e irreais. Belas na sensação de paz e tranquilidade que transmitem, nas cores meridionais que ostentam, nos temas tradicionais a que dão corpo. Irreais, porque nos dão um país parado no tempo e que hoje em dia, verdadeiramente, não sabemos se alguma vez existiu.

Número 130   ·   24 de Setembro de 2008   ·   Suplemento do JL n.º 991, ano XXVIII

Landschap
Landschap. Foto Jozef Dobosz
Por estes dias o Centro Cultural Português/Instituto Camões do Luxemburgo acolhe até 09 de Outubro a exposição Portugal visto por Estrangeiros, organizada em colaboração com a Federação Internacional de Arte Fotográfica (FIAP), uma instituição que reúne fotógrafos amadores de todo o mundo, mas sobretudo do antigo Benelux e países limítrofes. A fotografia não tem necessariamente de ser realista, mas é paradoxal como uma visão «de fora» reproduz uma imagem laboriosamente construída durante anos «cá dentro». Pelo menos a avaliar pela mostra que o catálogo apresenta.

Lissbon
Lissbon_3. Foto Ulrike Sauer
Quem não se recorda das imagens, em fotografia ou filme, de juntas de bois que nas praias portuguesas puxam barcos de pesca tradicionais... Ou da Ponte D. Luís no Porto com os barcos rabelos na água, dos eléctricos amarelos de Lisboa, do elevador da Bica, da apanha da azeitona à mão? A esta iconografia tradicional juntam-se agora as imagens de uma modernidade radical como a Expo 98 com o seu teleférico. No intervalo sente-se a falta de qualquer coisa.

Linha S
Linha S. Foto Jacques Dennis
Ao apelo da FIAP, responderam numerosos fotógrafos luxemburgueses e belgas, mas também franceses, holandeses e de algumas outras nacionalidades, tendo a selecção das cerca de 50 fotografias e alguns diaporamas presentes na exposição sido feita pelo vice-presidente da FIAP, Jacques Dennis, em colaboração com o Presidente da mesma federação, Emile Wanderscheid. Pretenderam dar uma panorâmica global do país, ditada pela sensibilidade de cada um deles. Entre os fotógrafos presentes destacam-se, entre outros, Jean-Paul Schmit, Sílvia Ferreira, Jacques Denis, Carlo Blum, Emile Wandercheid, Pol Tapella, Frank Bleser e Ulrike Saver .

Porto
PORTO 001. Foto Jacky Hutting
«Deitar um olhar sobre Portugal é entusiasmante. Quem de nós, europeus, não visitou já este país tão acolhedor e multifacetado? Certamente por isso, numerosos fotógrafos responderam afirmativamente ao apelo do Instituto Camões - Centro Cultural Português, pois a ideia desta exposição provoca um prazer para além de todas as expectativas», escreveu Jacques Dennis no catálogo da exposição que se enquadra nos objectivos que presidem à comemoração do 2008 - Ano Europeu do Diálogo Intercultural.

 

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.