Oliveira entre os «novos»

No ano do centenário do seu nascimento era quase inevitável. Manoel de Oliveira, o mais velho realizador em actividade no mundo, está a ter a mais completa retrospectiva alguma vez realizada em Espanha, no ciclo que a Filmoteca Nacional de Madrid passa desde 4 de Outubro (até 30 de Novembro) no emblemático Cine Doré da capital espanhola, integrado na VI Mostra Portuguesa em Espanha.

Número 131   ·   22 de Outubro de 2008   ·   Suplemento do JL n.º 993, ano XXVIII

Oliveira
Colombo, 2007
Oliveira não esgota o cinema português no âmbito da Mostra em Espanha, que inclui ainda um ciclo de longas e curtas-metragens em Madrid e Barcelona, em que os holofotes estarão centrados na apresentação do filme Call Girl (2007), de António Pedro Vasconcelos, que se deslocará às duas cidades juntamente com a actriz principal, Soraia Chaves.

Oliveira é hoje um ícone do cinema de autor europeu, como atesta o seu prémio de carreira no último festival de Cinema de Cannes. Diversas mostras antológicas tiveram lugar um pouco por todo o mundo em 2008, com relevo para os Estados Unidos, enquanto se prepara a grande homenagem que terá lugar a 11 de Dezembro, promovida por uma comissão nomeada pelo Governo português.

A mostra de Oliveira na Filmoteca Nacional de Madrid, dependente do Ministério da Cultura de Espanha, compreende 28 longas-metragens, muitas das quais terão sessões em dias diferentes, e cinco curtas-metragens. No âmbito da retrospectiva está incluída a película Gertrud do cineasta alemão Carl Dreyer, um realizador que Oliveira muito admira «pela sua procura da profundidade, do inacessível ao homem, daquilo para que não temos respostas».

Está previsto que Manoel de Oliveira se desloque a Madrid, sendo homenageado pela Filmoteca a 13 de Novembro.

Oliveira
Manoel de Oliveira, na cerimónia da entrega do Prémio da União Latina a Luís Miguel Cintra, 27-05-08
Mais reduzido é o número de filmes que integra o ciclo de cinema português contemporâneo, o mais antigo dos quais data de 2004 (Noite Escura, de João Canijo). Ao todo, seis longas-metragens serão projectadas no Cine Bellas Artes (Madrid), entre 18 e 23 de Novembro, no Cine Alexandra (Barcelona), entre 25 e 30 de Novembro, e na Filmoteca de Saragoça, entre 1 e 23 de Dezembro.

Juventude em Marcha (2006), a ‘docficção\' de Pedro Costa sobre a imigração e a condição suburbana, Kiss Me (2004), de António Cunha Telles, que revisita o Portugal do fascismo à volta da história da jovem Laura nos anos 50 do século passado, Suicídio Encomendado (2007), de Artur Serra Araújo, Prémio especial do júri do Fantasporto, e Dot.com (2006), em que Luis Galvão Teles retrata o choque entre uma grande multinacional e uma pequena aldeia no reino da Internet e o seu impacto na pequena comunidade, são as outras películas previstas para o ciclo.

A mostra de curtas-metragens, também no Cine Bellas Artes e no Cine Alexandra, apresentará filmes de Regina Pessoa (História Trágica com Final Feliz, animação de 2005), Rui Xavier (Superfície, 2008), João Nicolau (Rapace, 2006), Filipe Araújo (Selvagens: A Última Fronteira, 2006) André Carrilho (Jantar em Lisboa, animação de 2007), Pedro Sena Nunes (Elogio ao ½, documentário de 2000) e Bruno Cabral (Metamorfoses).

 

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.