Melhor reacção seria difícil…

O Centro Virtual Camões (CVC) foi renovado em Maio passado. Entre 15 de Julho e 15 de Setembro um inquérito em linha indagou a opinião dos seus utilizadores sobre as mudanças havidas. O inquérito permitiu ainda avaliar o contexto para a disponibilização de novos conteúdos e facilidades, bem como lançar alguma luz sobre o «perfil» dos utilizadores mais frequentes.

Os resultados do inquérito, cuja amostra (358 respostas válidas) não foi aleatorizada nem objecto de qualquer estratificação, devem ser entendidos «como uma apresentação de tendências, não deixando de ter presente que os resultados não se afastarão muito da opinião do nosso ‘verdadeiro\' universo: os utilizadores do CVC», afirma Rui Vaz, coordenador do Centro e responsável pela realização do inquérito.

Número 132   ·   19 de Novembro de 2008   ·   Suplemento do JL n.º 995, ano XXVIII

 Este pretendeu «avaliar a percepção que os utilizadores têm das mudanças ocorridas durante o presente ano no CVC, bem como avaliar também a possibilidade de disponibilizar novos conteúdos e facilidades», nomeadamente um serviço de venda de livros electrónicos.

O CVC foi formalmente renovado em Maio passado na sua apresentação e conteúdos, sujeitos a um significativo alargamento e reordenamento, com vista a facilitar a consulta e utilização. Daí resultou um aumento do número de visitas a páginas (page views), que passaram a oscilar entre 350 mil e 450 mil por mês.

A percepção da mudança, de acordo com os números do inquérito, é francamente positiva. Um total de 83% dos inquiridos considerou Boa (52,74%) ou Muito Boa (30,26%) as mudanças registadas no «aspecto, navegabilidade, conteúdos» do CVC. As respostas negativas ficaram-se pelos 3,46% (1,44% Muito Má e 2,02% ); 12,4% descrevem as mudanças como Razoáveis; apenas 1,15% não se pronunciam (Não sabe).

«Parece-nos que dificilmente se poderia esperar um melhor acolhimento às transformações que estão, e vão continuar, a ser feitas», afirma Rui Vaz, que chama também a atenção para os resultados semelhantes fornecidos pelas respostas à pergunta respeitante à avaliação dos conteúdos do CVC - 83,52% consideram-nos Bons (51,73%) ou Muito Bons (31,79%).

Aliás, quando interrogados sobre os conteúdos que gostariam de ver mais desenvolvidos no CVC, as respostas «evidenciam o que já são as apostas» feitas na plataforma electrónica do Instituto Camões. Os materiais para o Ensino da Língua Portuguesa recolhem 38,57% das preferências, os conteúdos sobre Literatura Portuguesa e dos PALOP 27,14% e a História e Cultura Portuguesa 34,28%.

Muito ligeiramente abaixo dos resultados da avaliação de conteúdos estão as apreciações quanto à facilidade de navegação, que de alguma forma avaliam a «filosofia» de organização do sítio. 77,23% dos inquiridos classificaram a navegabilidade do CVC como Fácil (54,18%) ou Muito Fácil (23,05%), sendo Aceitável para 19,02% e Difícil ou Muito Difícil para 3,17%.

Mais importante é a resposta à pergunta sobre a facilidade com que o utilizador encontra aquilo que procura no CVC, o que inclui também a facilidade de realização de pesquisas. Rui Vaz considera este aspecto como «crítico» da navegação nos sítios, pois, segundo ele, muitos especialistas afirmam que 5 segundos é o tempo máximo para encontrar num sítio aquilo que se procura. Os 62,4% de respondentes que encontram Frequentemente (49,42%) ou Muito Frequentemente (13,01%) aquilo que procuram é um «bom resultado» que o coordenador do CVC diz ter «margem de progressão».

«Naturalmente que as questões de forma como o aspecto, navegabilidade... etc., são fundamentais (na Internet são mesmo determinantes), contudo com utilizadores com as características sócio-educacionais evidenciadas, os conteúdos assumem um papel ainda mais determinante», considera Rui Vaz.

 

 Inquérito CVC

 

Inquérito CVC

 

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.