IC leva prémio Matilde Rosa Araújo aos países lusófonos

Número 141 · 29 de Julho de 2009 ·  Suplemento do JL n.º 1013, ano XXIX


O concurso de Conto Infantil – Matilde Rosa Araújo, criado pela Câmara da Trofa em Fevereiro de 2002, foi alargado aos países de língua oficial portuguesa, nos termos de um protocolo celebrado entre aquela autarquia e o Instituto Camões (IC) que vai gerir a divulgação da competição, a recepção e a selecção dos textos concorrentes fora de Portugal.

Número 141 · 29 de Julho de 2009 ·  Suplemento do JL n.º 1013, ano XXIX


O concurso de Conto Infantil – Matilde Rosa Araújo, criado pela Câmara da Trofa em Fevereiro de 2002, foi alargado aos países de língua oficial portuguesa, nos termos de um protocolo celebrado entre aquela autarquia e o Instituto Camões (IC) que vai gerir a divulgação da competição, a recepção e a selecção dos textos concorrentes fora de Portugal.

O concurso decorre entre Outubro e Abril de cada ano e premeia contos que tenham as crianças como público-alvo.

Conto Infantil – Matilde Rosa AraújoHá oito anos que o município da Trofa realiza um concurso de contos infantis que já recebeu candidaturas de dois mil autores, amadores e sem nenhum livro publicado.

O protocolo assinado com o Instituto Camões permite agora a participação de autores de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, S. Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

«A valorização das culturas lusófonas, nomeadamente, a promoção da escrita dirigida para a infância e juventude em língua portuguesa surge como objectivo central para o alargamento do concurso literário da Trofa aos Estados da Comunidade Países de Língua Portuguesa a partir da IX edição – ano de 2010», reza um memorando do município da Trofa.

Caberá ao IC, através da Internet, dos seus centros culturais e centros de língua portuguesa, bem como das embaixadas e consulados de Portugal, a promoção do concurso nos países lusófonos e, depois, a recepção e selecção dos contos candidatos e a publicação da obra classificada com o 1º Prémio na Biblioteca Digital do Centro Virtual Camões.

Para a selecção dos textos, o Instituto Camões deverá organizar um júri de pré-selecção composto por elementos ligados à literatura e ao ensino da língua portuguesa.

Em Portugal, será a Câmara da Trofa, no distrito do Porto, a receber e seleccionar as obras a concurso. O município escolherá também o júri que fará a apreciação final dos trabalhos seleccionados em Portugal e nos países da CPLP.

«A parceria entre o município da Trofa e o Instituto Camões visa valorizar não só a cultura, mas também e fundamentalmente a língua portuguesa», salientou Bernardino Vasconcelos, Presidente da Câmara da Trofa.

Em 2009, Sérgio Nuno Rosário Fernandes, um jornalista de 28 anos residente em Santarém, foi o vencedor com o conto Quase. O 2º lugar coube ao conto O Pinto do Dia, concebido pela professora Maria Odete Cascais e Silva, de 54 anos, da Maia e o 3º prémio foi ganho por Flávio Miguel Fraga da Silva, especialista em medicina tradicional chinesa, do Faial, Açores, com o conto Vasquinho e o barco de papel.

O município da Trofa desenvolveu ou apoiou, desde a sua criação, em 1998, vários projectos envolvendo os países da CPLP, como seja um programa musical integrado no âmbito das comemorações dos 500 anos do descobrimento do Brasil, através de intercâmbio de escolas da Trofa com escolas do Rio de Janeiro.

Outros projectos foram o Coro Infantil Lusófono, apoiado também pelo IC, com crianças de todos os países da CPLP, e o ‘Encontro Lusófono de Literatura Infanto-Juvenil’, que já conheceu quatro edições e que contou, entre outros, com nomes como Alice Vieira, António Torrado, Isabel Alçada, José Eduardo Agualusa, João Craveirinha, José Jorge Letria, Luandino Vieira, José Viale Moutinho, Ondjaki, Papiniano Carlos.

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.