Universidade de Oxford: A crescente visibilidade do Camoens Center

Nomes como António Costa Pinto, Nuno Severiano Teixeira e João Cravinho vão participar na mesa-redonda Portugal, Southern Europe and the European Union, que terá lugar a 31 de Outubro próximo, no colégio St. John’s da Universidade de Oxford (Reino Unido).

O evento, que conta também com a participação dos professores universitários António Goucha Soares (ISEG) e Luís de Sousa (Instituto Europeu, Florença) é organizado pelo Centro de Língua Portuguesa do Instituto Camões (CLPIC) na Universidade de Oxford, em colaboração com o Oxford Centre for the Study of Inequality and Democracy (OCSID), o Departamento de Política e Relações Internacionais e o Instituto de Ciências Sociais (ICS) de Lisboa, e marca mais uma etapa na política de afirmação dos Estudos Portugueses e do Centro no meio académico britânico.

A mesa-redonda é um dos dois eventos de mais destacado perfil público do programa de actividades no ano lectivo de 2009/2010 do Centro do Instituto Camões em Oxford, dirigido pela historiadora Luísa Pinto Teixeira, no âmbito do qual se deverá assistir, em Março próximo, em Londres, a uma palestra do Alto Comissário da ONU para os Refugiados, o ex-primeiro ministro português António Guterres, sobre o programas das Nações Unidas para os refugiados, numa co-organização com o Refugees Studies Center e o International Migration Institute (IMI), ambas instituições académicas da Universidade de Oxford.

No 1º período escolar, o CLPIC de Oxford organiza também a 10 de Novembro no colégio St John’s um seminário sobre a emigração na Europa, com a apresentação de um documentário sobre emigração portuguesa do jornalista e professor universitário Joaquim Godinho. Este seminário é organizado com o IMI e a Reuters School of Journalism desta Universidade.

No 2º período, o CLPIC promove, com a Queen Elizabeth House, o IMI e o OCSID, uma mesa-redonda sobre a democratização de Timor-Leste na arena internacional, em que, para além de investigadores de várias proveniências, participarão Carlos Gaspar, antigo assessor da Casa Civil do Presidente da República Jorge Sampaio e director do Instituto Português de Relações Internacionais da Universidade Nova de Lisboa, e Bernardo Ivo Cruz, director da representação da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) em Londres, que coordenou a Missão de Apoio à Reconciliação Nacional em Timor Leste do Clube de Madrid.

Ainda da programação de 2009/2010 do CLPIC da Universidade de Oxford constam diversas palestras, seminários e conferências, nomeadamente sobre religião em Portugal (The Changing Face of Religion in Portugal), que terá lugar em Maio, e um concerto do pianista João Paulo Esteves da Silva em Fevereiro.

Durante o ano lectivo findo, o CLPIC realizou diversas acções com visibilidade académica, como seja o workshop (oficina de trabalho) que teve como tema Diaspora, Empire and the formation of a Lusophone World, o lançamento do livro The International Politics of Democratization, com a presença de Nuno Severiano Teixeira, organizador da obra juntamente com António Costa Pinto, um encontro sobre literatura portuguesa com Helder Macedo, Thomas Earle (professor de Literatura Portuguesa em Oxford) e Luísa Mellid-Franco (crítica literária do semanário Expresso), e dois seminários sobre História contemporânea. O primeiro versou o clientelismo na política portuguesa e lusófona e o segundo, por ocasião do 35º aniversário do 25 de Abril, a democratização de Portugal entre 1961 e 1982. Este último deu origem a um livro que está a ser preparado para publicação.

O Centro de Língua Portuguesa do Instituto Camões na Universidade de Oxford, criado em 2001, é uma entidade autónoma no âmbito daquela instituição, estando associada à Divisão de Humanidades, onde é um dos três centros com actividade independente, sendo os outros a Maison Française e o Voltaire Institute.

Na classificação mundial anual das universidades feita pelo Center for World-Class Universities, da Universidade Jiao Tong de Xangai, Oxford ficou em 2008 em 2º lugar entre as universidades europeias e, para a avaliação positiva feita à Divisão de Humanidades, contou o trabalho desenvolvido pelos seus centros, entre os quais o Centro Camões, refere Luísa Pinto Teixeira, uma historiadora que tem como áreas de trabalho Moçambique, História de África, o 3º império português, as migrações e as comunidades de comerciantes indianos no espaço lusófono.

Em Oxford, o Centro Camões promove os Estudos Portugueses, nomeadamente a língua, cultura, história e política de Portugal e da lusofonia. Os Estudos Portugueses contam ainda com a cátedra D. João II, dirigida pelo professor Thomas Earle, que integra a subfaculdade de Português, inserida por seu turno na Faculdade de Línguas e Literaturas Medievais e Modernas. Nesta subfaculdade, onde lecciona também uma docente co-financiada pelo IC, Catarina Fouto, e mais três professores, estudam cerca de 40 alunos.

Sinal do interesse que os Estudos Portugueses e Lusófonos despertam no Reino Unido, a rede do IC naquele país compreende numerosos leitorados, centros de língua e cátedras. Os primeiros estão nas universidades de Queen\'s (Belfast) Bristol, Cambridge, Edimburgo, Glasgow, Leeds, Liverpool, Newcastle, Nottingham e no Institute of Germanic & Romance Studies de Londres.

Além de Oxford, também Edimburgo, Leeds e Newcastle upon Tyne contam com centros de língua portuguesa e há ainda cátedras de estudos portugueses nas universidades de Birmingham (Cátedra Gil Vicente), Manchester (Sophia de Mello Breyner) e no King\'s College de Londres (Charles Boxer).

Desde que assumiu em Setembro de 2007 o cargo de directora do CLPIC de Oxford, Luísa Pinto Teixeira tem procurado alargar o âmbito de acção do Camoens Center em associação com outros parceiros da própria universidade, juntando às iniciativas ligadas à língua e à literatura, outras relacionadas com os novos tópicos em debate no mundo académico, abordando questões como migrações, identidade, tradições e herança histórica, tudo isto numa perspectiva lusófona e procurando intervenientes de Portugal e da lusofonia.

Para esta viragem do CLPIC de Oxford, Luísa Pinto Teixeira sublinha o papel e o estímulo que lhe deram dois professores britânicos – David Goldey, já jubilado, que descreve como «a alma dos Estudos Portugueses» em Oxford, e Gavin Williams, um especialista em questões africanas, política e relações internacionais, que será homenageado este ano lectivo pela Universidade de Oxford num congresso em Julho, ao qual o CLPIC se associa. Fundamental também foi a colaboração estreita que estabeleceu com os politólogos Nancy Bermeo e Laurence Whithead, e os historiadores John Darwin, Robert Gildea e Malcolm Vale, e o apoio do colégio St John’s onde é fellow.

O dinamismo adquirido pelo CLPIC em Oxford obrigou a que o enquadramento do seu relacionamento institucional com a Universidade esteja a ser objecto de revisão que deverá culminar com a próxima assinatura de um novo protocolo entre o IC e a Universidade de Oxford, que consagra o estatuto autónomo do Centro, a forma de nomeação do seu director e as obrigações de cada parte.

Instalado numa casa vitoriana em Bevington Road, o Centro Camões dispõe de uma significativa biblioteca sobre temas portugueses e lusófonos e as suas instalações acolhem aulas da licenciatura em Língua e Literatura Portuguesa, servindo ainda de ponto de encontro dos bolseiros e investigadores portugueses, tanto dos ramos humanísticos como científicos, que estudam e trabalham em Oxford.

 

Encarte Camões no JL n.º 143

Suplemento da edição n.º 1017, de 23 de setembro a 6 de outubro de 2009, do JL - Jornal de Letras, Artes e Ideias

 

 

 

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.