Centro Virtual Camões: Formação de professores arranca em Outubro

Seis cursos de formação contínua de professores vão estar disponíveis em 2009/2010 na plataforma de ensino à distância do Instituto Camões (IC). As inscrições em linha para os cursos à distância do IC, abertas a 8 de Setembro, terminam já a 30 de Setembro, e o arranque das ‘aulas’ é a 13 de Outubro.

Os cursos, para os quais foi solicitada creditação ao Conselho Científico-Pedagógico da Formação (CCPFC), organismo do Ministério da Educação, com sede em Braga, no qual o IC obteve em Junho passado o registo como entidade formadora, visam satisfazer as necessidades de formação da rede de professores de Português do ensino básico e secundário no estrangeiro, cuja transferência para o Instituto foi decidida em Maio pelo Governo.

Rui Vaz, responsável pelo Centro Virtual Camões (CVC), a plataforma em que estão concentrados os recursos de ensino à distância do IC, explicou que os cursos de formação contínua de professores proporcionarão créditos aos formandos, em número ainda a definir pelo CCPFC, e contarão para efeitos de progressão na carreira dos docentes.

Os cursos especificamente objecto da creditação junto do CCPFC são: ‘Laboratório de Escrita Criativa – Nível Introdutório’, ‘Literaturas Africanas de Língua Portuguesa’, ‘Materiais Interactivos para Português Língua Segunda na Web 2.0’, ‘A Novíssima Poesia Portuguesa e a Experiência Estética Contemporânea’, ‘Primeira República e Republicanismo’ e ‘As Letras da República’.

Este último curso, organizado e dirigido pelo professor universitário José Carlos Seabra Pereira, constitui a principal novidade temática da edição deste ano dos cursos à distância (v. texto neste suplemento). O curso foca as «dinâmicas de grupo que marcaram a cultura humanístico-literária em Portugal, ao longo da primeira metade do século XX, destacando e caracterizando as correntes estético-ideológicas e os movimentos literários» e a sua ligação ao movimento político e social.

Este é um dos dois cursos desenvolvidos em colaboração com a Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República (CNCCR). O outro, ‘Primeira República e Republicanismo’, dirigido a professores, é uma versão do curso aberto que foi ministrado em 2008/2009. «Terá limite de inscrições [ao contrário do que ocorreu na edição inicial], um trabalho diferente e avaliação, porque não é um curso de divulgação. É um curso de formação contínua de professores», refere Rui Vaz.

Todos estes seis cursos de formação de professores terão reedições no 2º semestre do ano lectivo, esperando o CVC vir a aumentar a oferta de cursos creditados. «À medida que formos conhecendo as necessidades formativas [dos professores da rede do IC] iremos desenvolver uma resposta adequada, que se traduzirá numa maior oferta de cursos», diz Rui Vaz.

Os seis cursos para formação contínua de professores integram a oferta de formação à distância do IC no 1º semestre do ano lectivo de 2009/2010. Ao todo, serão 15 os cursos que deverão ter o seu início a 13 de Outubro próximo.

Dos restantes nove cursos, também com reedições no 2º semestre, cinco permitem a obtenção de ECTS (Sistema Europeu de Transferência de Créditos) através de parcerias com instituições universitárias. São eles: ‘Tradução e Tecnologias de Informação Linguística’ (Faculdade de Letras da U. de Lisboa / FLUL), ‘Ensino e Aprendizagem do Português Língua Segunda’ (FLUL), ‘Estudos Pós-Coloniais: Atlânticos Sul’ (U. de Bolonha), ‘Intercompreensão (Português, Espanhol, Francês)’ (FLUL), ‘Curso de especialização pós-graduado em Cultura Portuguesa Contemporânea’ (U. Aberta). No 2º semestre, mais outros dois cursos serão lançados: ‘Literatura Dramática Portuguesa Contemporânea’ e ‘Técnicas Avançadas de Interpretação Simultânea’.

O curso de Cultura Portuguesa Contemporânea passou entretanto este ano a ser dirigido pela professora universitária Maria Cardeira da Silva, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da U. Nova de Lisboa, em substituição da professora e curadora Isabel Carlos, que assumiu a direcção do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian.

No campo da formação à distância, iniciada em 2003, de forma experimental, com apenas um curso, o programa do IC, «dirigido prioritariamente a licenciados e licenciandos» da sua rede de docência no estrangeiro, passou para 18 cursos e 497 formandos em 2008/09.

 

Encarte Camões no JL n.º 143

Suplemento da edição n.º 1017, de 23 de setembro a 6 de outubro de 2009, do JL - Jornal de Letras, Artes e Ideias

 

 

 

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.