Antologia de poesia portuguesa: Debate e recital no lançamento

O lançamento público da nova antologia de poesia portuguesa publicada em Espanha, no início do Verão, pela editora ‘Eneida’ com o apoio do Instituto Camões e da Embaixada de Portugal, de que é autor Carlos Clementson, vai ser oportunidade para um recital e um debate a 3 de Novembro em Madrid, na Biblioteca Nacional, com a presença dos poetas Manuel Alegre, Ana Luísa Amaral e Vasco Graça Moura.

A apresentação, no âmbito da VII Mostra Portuguesa em Espanha, estará a cargo do responsável pela selecção, tradução e estudo introdutório dos poemas inseridos em Alma Minha Gentil – Antología general de la poesía portuguesa e do antigo ministro da Cultura de Espanha e professor universitário César Antonio Molina, autor de Sobre el iberismo y otros escritos de literatura portuguesa (Madrid, 1990) e «um destacado neo-iberista teórico e prático», na expressão do próprio Clementson.

Este programa será ‘repetido’ no dia seguinte no Ateneo de Barcelona, com a participação dos três poetas portugueses no recital e no diálogo com o público presente, tendo como moderador o poeta catalão Sergi Jover.

A antologia é uma edição bilingue em que estão representados 95 poetas, abarcando 8 séculos da Literatura Portuguesa, das origens até à actualidade, divididos em «Poesia medieval e classicismo», «Classicismo (renascimento e barroco) (séculos XVI e XVII)», «Neoclassicismo e iluminismo (século XVIII)», «Romantismo, realismo e simbolismo (século XIX)» e «Modernismo e outros movimentos do século XX», a parte mais desenvolvida, com mais de metade dos autores (54).

Apresenta textos de introdução histórica a cada período estético e também outros de carácter ensaístico sobre a obra de cada poeta representado, bem como sobre o contexto histórico e cultural em que ela se insere.

Esta será, certamente, uma obra de referência, que vem cobrir uma lacuna, pois a antologia de Ángel Crespo, que ia até aos anos oitenta, encontra-se desactualizada e esgotada há muito.

Carlos Clementson, poeta, crítico, tradutor e professor de Literatura Espanhola da Universidade de Córdova, foi já responsável pela publicação de Alma minha gentil... Antología del soneto portugués. (Múrcia, 1994), Camoens, de Almeida Garrett (Córdova, 1998), Sophia de Mello, Antología griega. (Málaga, 1999) e Sophia de Mello Breyner Andresen, Antología (Madrid, 2000).

No prólogo à obra, Clementson faz uma abordagem ao iberismo cultural em Portugal e Espanha, histórico e actual, e explica os critérios que presidiram à selecção dos poetas contemplados pela antologia, registando com satisfação que à tradicional postura de costas voltadas entre os dois países, «nestas últimas décadas, e desde a recente entrada de ambos os países ibéricos na União Europeia, assistimos a um franco processo de paulatina ruptura de tão secular incomunicação», que se estende a «uma renovada atenção aos autores da fértil e sugestiva literatura portuguesa por parte dos leitores e estudiosos espanhóis».

Dando conta da sua dificuldade de traduzir poetas contemporâneos como Ernesto M. de Melo e Castro, Mário Cesariny e Herberto Hélder, Clementson assume também que traduziu «os autores que ao longo dos séculos nos cativaram especialmente, se mostraram mais próximos da nossa sensibilidade ou das preferências estéticas ou meramente subjectivas do tradutor»

 

Encarte Camões no JL n.º 144

Suplemento da edição n.º 1019, de 21 de outubro a 3 de novembro de 2009, do JL - Jornal de Letras, Artes e Ideias

 

 

 

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.