Lisboa: Exposição "Comemorar Maria Cecília Correia"

Data
04-07-2019 - 31-07-2019
Localização
Lisboa (Camões, I.P.)

Descrição

A exposição "Comemorar Maria Cecília Correia" será inaugurada no dia 4 de julho, às 18h30, na sala de exposições do Camões, I.P.e estará patente até dia 31 de julho de 2019.

Em 2019 assinala-se o centenário do nascimento de Maria Cecília Correia (1919-1993), escritora que marcou a história da literatura para a infância em Portugal, nomeadamente com o seu livro de estreia "Histórias da Minha Rua" (1953), ilustrado por Maria Keil e galardoado com o Prémio Literário Maria Amália Vaz de Carvalho.

Neste contexto, o Grupo de Estudos Maria Cecília Correia (GEMCC) apresenta a exposição "Comemorar Maria Cecília Correia", que percorre a vida e obra da escritora. Natural de Viseu, morou em várias cidades de Portugal continental e em Angola. Maria Cecília Correia ficou entre as poucas escritoras portuguesas para a infância que abordou a temática das colónias africanas, adotando uma postura de aceitação da diferença e valorização do multiculturalismo.

Maria Cecília Correia começou por publicar poesia em periódicos, investindo depois na literatura para a infância. Após publicar nas editoras Portugália (1953) e Ática (1960), nos anos 70 iniciou atividade como auto-editora, em colaboração com o filho António Cabral Castilho, ilustrador e designer de comunicação. Essas obras foram selecionadas pela Fundação Calouste Gulbenkian para integrarem o projeto de Bibliotecas Itinerantes, o que garantiu a sua presença em todo o território nacional. Na mesma altura, os livros chegavam às comunidades portuguesas a viver no estrangeiro, sendo estudadas nos Cursos de Língua e Cultura Portuguesas e tendo o livro "Pretérito Presente" (1976) sido adotado para a juventude pelo Serviço de Apoio aos Emigrantes.

Além da obra publicada, Maria Cecília Correia participou com contos e crónicas na imprensa e na televisão, foi oradora convidada em programas de formação de docentes, participou em feiras do livro e ações de promoção da literatura para a infância, e foi membro fundador da associação "Amigos da UNICEF". O seu percurso pessoal ficou marcado por figuras como a poetisa Cecília Meireles e o filósofo Agostinho da Silva, pessoas com quem estabeleceu amizade e trocou vasta correspondência.

Tópicos neste artigo: