Número 8   ·    21 de Abril de 1999

Noticiário

O 25 de Abril no estrangeiro


http://www.instituto-camoes.pt/bases/25abril.htm

Barcelona
O ICEP organiza entre 23 a 29 de Abril, a semana portuguesa em Barcelona, a qual envolve diversas actividades económicas e culturais, entre as quais a comemoração dos 25 anos do 25 de Abril.

Beira
O I.C.- Centro Cultural da Beira, Moçambique, organizou uma sessão comemorativa do 25 de Abril com a participação do cantor português João Afonso e outros músicos moçambicanos que interpretaram canções de Zeca Afonso e a colaboração do Grupo Cénico do Centro, para a leitura de alguns poemas.

Estocolmo
O Leitorado do I.C. na Universidade de Estocolmo: Conferência "25 de Abril de 1974- vinte e cinco anos depois- memórias de duas gerações" pelo professor Amadeu Batel e Fernando Rodrigues.

Estrasburgo
A Associação Nova Terra, de Mulhouse, promoveu um concurso de desenhos alusivos ao 25 de Abril de 1974, no âmbito das comemorações do aniversário daquela data, para crianças dos 6 aos 10 anos.

Paris
Universidade Paris X Nanterre, 7 a 15 de Abril: ciclo "Cravos de Abril- Portugal, 25 anos depois". Será apresentada a exposição de fotografia de Florence Patte sobre pinturas murais realizadas em Lisboa no período revolucionário. As comemorações incluirão ainda a apresentação dos filmes de Manoel de Oliveira, "Francisca" e "Non ou a Vã Glória de Mandar", do documentário de Ricardo Costa, "Cravos de Abril" e um espectáculo de Francisco Fanhais intitulado "A Canção Portuguesa e a Resistência Democrática". Esta iniciativa conta com o apoio do Leitorado do I.C. e do Centro Cultural em Paris.

Ruão
Festa comemorativa do 25.º Aniversário da Revolução de Abril, com a organização a cargo do Consulado e Associações Portuguesas em Ruão.

São Tomé
O I.C.-C.C.P. em São Tomé e Príncipe inaugura as comemorações do 25 de Abril no dia 23, às l7h, com a exposição e vídeo Abrir Abril e um painel de intervenções, proferidas por personalidades santomenses, subordinado ao tema "O 25 de Abril de 1974 visto de S. Tomé e Príncipe". As comemorações prosseguem nos dias 24, com o programa na Rádio Nacional alusivo ao tema, e 25, com um espectáculo ao vivo.

Telavive
O Leitorado de I.C. na Universidade de Tel-Aviv, juntamente com a Liga de Amizade Israel-Portugal, têm previstas para o mês de Maio, as comemorações do aniversário do 25 de Abril.

Toronto
O Consulado-Geral em Toronto apresenta, entre 9 a 16 de Abril, a exposição Abrir Abril, no âmbito das comemorações do 25.º aniversário da Revolução. A iniciativa, destinada à comunidade portuguesa de Toronto e autarcas locais, contará com a participação de algumas agremiações locais com a presença de ex-militares de Abril e um ciclo de conferências que decorrerão ao longo de uma semana. A cerimónia de abertura, no dia 9, realizou-se na Galeria Almada Negreiros do mesmo consulado.

Vigo
Instituto Camões - Casa de Portugal em Vigo, dia 19: lançamento do livro de José Jorge Letria, Os Capitães de Abril.

Semana Cultural de Portugal na Índia

No dia 23 de Março iniciou-se a edição de 1999 da semana cultural de Portugal na Índia. Para este evento foi apresentado, no Instituto Camões- Centro Cultural Português em Nova Deli, um concerto de Schubert interpretado pelo pianista Adriano Jordão e pelo baixo-barítono José Oliveira.

No dia 29, na Universidade de Deli, teve igualmente lugar um seminário indo-português de Literatura Comparada, dedicado este ano à literatura popular.

No início de Abril destacaram-se ainda outras actividades como a exposição biográfica e o colóquio-debate sobre Saramago, em Nova Deli, na Universidade de Jawaharlal Nehru.

José Riço Direitinho traduzido para castelhano

Breviário das Más Inclinações é o título do romance de José Riço Direitinho, agora traduzido em língua castelhana. A obra recebeu, entre outros, o prémio Eça de Queirós e impôs-se como um dos exemplos mais significativos de uma nova corrente dentro das letras portuguesas.

José de Riço é o protagonista deste breviário que vive um destino implacável onde a magia, os sonhos, o poder curativo das plantas e a linguagem podem ser as suas armas mais eficazes. Direitinho apresenta-nos um narrador que conhece todos os receios de uma sociedade rural que diariamente luta contra adversidades várias, introduzindo-nos, assim, fisicamente, nas obscuras inquietações do mal.

A frase com que se inicia a obra deixa entrever o gosto do autor pelas verdades secretas da vida quotidiana e prever uma leitura intrigante e apaixonada: "tu eras (...) um pobre homem (...) cheio de ideias gregárias, de ideias redentoras e que não conduzem a lado nenhum, para ser herói há que ser mais humilde e sobretudo não sabê-lo".

Com este romance José Direitinho, autor de A Casa do Fim e de O Relógio do Cárcere consagra-se como uma das novas vozes da literatura portuguesa. Esta tradução tem a chancela da Siruela.

Cursos de Verão na Universidade da Califórnia

A Universidade de Stanislaus, na Califórnia, tem já abertas as inscrições para o seu 4.º Curso de Verão Intensivo Anual de Língua e Cultura Portuguesa que se irá realizar entre 17 de Junho e 30 de Junho ou 8 de Julho.

O seu programa oferece classes que compreendem o grau Elementary, Intermediate and Advanced Portuguese Language, assim como noções sobre cultura, literatura e história de Portugal.

Recebem-se inscrições até ao próximo dia 17 de Maio.

Seminário de Língua Portuguesa em Pequim

O leitor do Instituto Camões na Universidade de Línguas Estrangeiras de Pequim, em colaboração com o Instituto Camões- Centro Cultural Português, organiza, entre 28 a 30 de Junho próximos, o I Seminário de Língua e Cultura Portuguesa no Oriente.

Trata-se da primeira iniciativa desta natureza a decorrer na cidade de Pequim, prevendo-se agora a realização regular deste Seminário, com palco em diferentes países do Oriente.

Museu Nacional de Arte Antiga em Bona

O Pavilhão das Artes e Exposições de Bona, o museu mais visitado da Alemanha, está a apresentar, até Julho próximo, parte significativa do acervo do Museu Nacional de Arte Antiga. Esta iniciativa integra-se no ciclo "As Grandes Colecções", que já levou a Bona o melhor das colecções do Museum of Modem Art de Nova Iorque, o Ermitage de São Petersburgo, o Moderna Musset de Estocolmo, o Museu Arqueológico de Nápoles e o Petit Palais de Paris.

A seguir à Exposição do Museu Nacional de Arte Antiga, seguir-se-á uma outra, consagrada a outro grande museu ibérico - o Museu do Prado.

A propósito desta iniciativa, o Pavilhão das Artes e Exposições publicou um excelente e volumoso catálogo (385 páginas) dedicado às riquíssimas colecções do Museu Nacional de Arte Antiga - iluminura, escultura, pintura e artes decorativas. O Instituto Camões apoia as traduções para línguas estrangeiras.

Portugal na Revista Chiri de Tóquio

No passado mês de Fevereiro, a Revista Chiri, de Tóquio, publicou um extenso artigo sobre Portugal da autoria do Prof. Mitsuro Sano.

No destaque conferido a Portugal, o artigo divide-se em duas entrevistas concedidas aos professores Mitsuru Sano, especialista de geografia urbana e cultural e Shunsuke Ike, especialista de geografia rural e educação geográfica.

O artigo aborda assuntos que vão desde a arquitectura e o turismo, a geografia e a gastronomia portuguesa, a época dos Descobrimentos e às multisseculares relações entre Portugal e o Japão.

Festival de Cinema Lusófono em Nantes

O Cinema Katorza, a Associação Caravela do Orpheu e o Departamento de Estudos Portugueses, Brasileiros e Luso-Africanos da Universidade de Nantes, com o patrocínio do Instituto Camões, apresentaram, de 2 a 9 de Abril, a 2.ª semana do filme lusófono. No programa do Festival, o Cinema Katorza incluiu seis películas do cineasta português Paulo Rocha- Verdes Anos, Mudar de Vida, A Pousada das Chagas, As ilhas dos Amores, As ilhas de Moraes e As montanhas da Lua. A Guiné-Bissau apresentou o filme Xime, de Sana Na N'Hada, uma exemplar amostra do quotidiano e cultura guineenses no ano de 1963 e Cabo Verde fez-se representar pelo filme O Testamento do Senhor Napumuceno do realizador Francisco Manso.

Uma das atracções deste festival foi ainda Central do Brasil, de Walter Salles, com a excelente interpretação da actriz Femanda Montenegro, já conhecida entre nós. O filme teve uma nomeação para os Oscares deste ano, na categoria de melhor filme estrangeiro, e muito embora não tenha obtido o esperado prémio, o público foi unânime em considerar Central do Brasil como uma das melhores produções cinematográficas destes últimos anos. Do Brasil chegou também O que é isso companheiro? de Bruno Barreto. Portugal participou ainda com Sapatos Pretos, de João Canijo, Tráfico, de João Botelho, Longe da Vista, de João Mário Grilo, Inquietude, de Manoel de Oliveira, Rio do Ouro, de Paulo Rocha, Bom Povo Português, de Rui Simões, Glória, de Manuela Viegas e A Viagem, de Christian Boustani.

Argentina cria licenciatura em Língua Portuguesa

A Universidad Argentina de La Empresa, com sede em Buenos Aires, acaba de criar uma licenciatura em Língua Portuguesa. Formada por quatro anos lectivos, este curso incluirá, para além das obrigatórias "cadeiras" de linguística, o estudo das literaturas lusófonas, de História e de Civilização e ainda das relações dos países de expressão portuguesa com o rio da Prata.

Na Faculdade de Ciências Sociais e Jurídicas, em que funcionará o curso, ministram-se também as licenciaturas de Língua Inglesa, Direito e Relações Internacionais.

Escritores Portugueses na Feira do Livro de Buenos Aires

O programa da Feira do Livro de Buenos Aires incluirá um ciclo de iniciativas com os escritores portugueses João de Melo e Lídia Jorge.

No dia 18, a primeira conferência será pronunciada por João de Melo, que abordará o tema "Guerra Colonial e as lutas de Libertação Africanas na Literatura Portuguesa", seguida por uma sessão de autógrafos no pavilhão de Portugal na Feira, às 19.30h. Mas a sua participação alargar-se-á a outras actividades: no dia 20, o escritor terá uma conversa com alunos e professores do Instituto de Enseñanza Superior en Lenguas Vivas Juan Rámon Fernández, instituição em que funciona o leitorado do Instituto Camões e onde no próximo dia 10 de Julho será inaugurado o Centro de Língua Portuguesa do Instituto Camões, e apresentará uma conferência, no dia 21, na Facultad de Humanidades y Artes da Universidad Nacional de Rosario.

Lídia Jorge, por seu turno, participará numa sessão de autógrafos no dia 25 de Abril, às 16.30h, proferindo seguidamente uma conferência subordinada ao título "Memória e Transfiguração- Um percurso Particular" na sala Julio Cortázar no Pavilhão da Feira.

No dia 27, no Instituto de Enseñanza Superior en Lenguas Vivas Juan Rámon Femández, manterá uma conversa com alunos e professores e apresentará, no dia 28, a conferência sobre o tema já abordado na Feira, na Facultad de Humanidades y Artes da Universidad Nacional de Rosario.

Portugal, país tema da Bienal do Rio de Janeiro

Portugal será o país tema da bienal internacional do livro do Rio de Janeiro, que se está a realizar desde ontem, dia 20, até 2 de Maio. A importância deste acontecimento justifica uma forte participação do Instituto Camões, paralelamente a outras instituições portuguesas- Instituto do Comércio Externo Português, Instituto Português do Livro e das Bibliotecas e Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses.

O Instituto Camões apresentará, no seu espaço no recinto da bienal, uma exposição intitulada "Portugal/Brasil- Olhares Cruzados sobre José Saramago", produzida com base em frases/excertos de artigos publicados na imprensa portuguesa e brasileira, quando da atribuição do Nobel da Literatura, para além da exposição bibliográfica também sobre o escritor, que estará patente na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. O Instituto apresentará ainda os seus escritores convidados Armando Silva Carvalho, José Tolentino Mendonça, Manuel Gusmão e Maria do Rosário Pedreira. No dia 1 de Maio, a seguir ao encerramento do certame, decorrerá um espectáculo de António Chaínho, igualmente promovido pelo Instituto Camões.

Paralelamente ao programa do certame, esta ocasião permitirá ainda a concretização de protocolos entre o Instituto Camões e algumas instituições brasileiras igualmente vocacionadas para a difusão da Cultura portuguesa- o Museu Histórico Nacional e o Real Gabinete Português de Leitura.