O biótipo do ecossistema

Existem plantas que só sobrevivem com muita água, enquanto outras sobrevivem em climas muito secos. A distribuição dos organismos está, assim, limitada pelos factores abióticos do meio, como é o caso da água.

O que são factores abióticos?

Para além dos factores bióticos, qualquer ecossistema é também caracterizado pelos factores abióticos (não vivos) ou físico-químicos, que são aqueles que estão relacionados com as características do meio. É o caso da luz, da temperatura, da humidade, do vento, da altitude, da composição do solo, da salinidade, das correntes e marés, da profundidade, da concentração de oxigénio, de dióxido de carbono, de sais minerais, etc.. São os factores abióticos que determinam a existência das populações de seres vivos nuns locais e noutros não. São também eles que limitam a distribuição das populações no meio ambiente.

Na natureza podemos observar uma série de exemplos que demonstram a influência dos factores abióticos sobre os seres vivos. Por exemplo, e em relação ao factor humidade, existem plantas que precisam de estar permanentemente alagadas, como é o caso do arroz, enquanto outras preferem os ambientes secos, como os cactos. Se pensarmos no factor temperatura, encontramos animais nas regiões polares, como os pinguins, que só conseguem viver em regiões frias, e animais como os elefantes que preferem as regiões quentes. Em relação ao factor luminosidade, existem plantas, como é o caso dos cereais, que necessitam de estar expostos muitas horas à luz, e outras, pelo contrário, como é o caso dos fetos, que preferem zonas sombrias, pois necessitam de pouca luz para sobreviverem.

Ao conjunto dos factores bióticos e abióticos dá-se o nome de factores ambientais ou factores ecológicos.

O que é um biótopo?

Ao meio ambiente (com os seus factores bióticos), onde a comunidade biótica ou biocenose exerce a sua actividade, dá-se o nome de biótopo.

O biótopo tem dois componentes principais:

O meio - que é o elemento que envolve os seres vivos, como o ar ou a água;

O substrato - que é o componente do biótopo a que os seres vivos se fixam. É o caso da água, do solo ou de restos de organismos em decomposição (onde, por exemplo, se desenvolvem certos cogumelos).

No entanto, existem casos em que o substrato não é um factor abiótico ou um biótico em decomposição, mas sim um ser vivo. É o caso de uma carraça, que se fixa ao corpo de um animal, para lhe sugar o sangue. Nas plantas existem casos semelhantes - as plantas parasitas - que se fixam ao tronco ou ramos de outras plantas para lhes absorverem a seiva elaborada.

No caso dos peixes, meio e substrato são, na maioria das vezes, o mesmo elemento abiótico - a água. No entanto, para a maioria das plantas e animais terrestres, incluindo as aves, enquanto o meio é o ar, o substrato é o solo.

Qual a diferença entre o habitat e o nicho ecológico?

Num biótopo, cada conjunto de organismos da mesma espécie, ou seja, cada população, ocupa um determinado espaço, que é o seu habitat, enquanto que cada indivíduo desenvolve a sua actividade em locais mais restritos desse habitat, a que se dá o nome de nicho ecológico. Por exemplo, num mesmo bosque, na mesma comunidade, podemos encontrar ratinhos, corujas e corvos. As corujas e os corvos vivem nas árvores e é aí que constroem os seus ninhos, enquanto os ratinhos vivem no solo, escavando nele as suas tocas onde se escondem em caso de perigo e onde têm as crias. Deste modo, as corujas e os corvos partilham o mesmo habitat - as árvores, enquanto o habitat dos ratinhos é o solo. No entanto, enquanto as corujas fazem os seus ninhos nos buracos dos troncos das árvores, os corvos constroem os deles nos ramos. Isto quer dizer que embora as duas populações de aves partilhem o mesmo habitat, elas utilizam nichos ecológicos diferentes. Desta forma elas evitam disputas, porque exploram locais específicos diferentes.

Algumas espécies encontram-se numa grande variedade de habitats (populações diferentes dessas espécies pertencem a comunidades diferentes, que ocupam biótopos com diferentes características), embora geralmente exista um que lhes é mais favorável. Outras espécies são mais especializadas, o que indica que sobrevivem só num único habitat.

Embora duas espécies possam partilhar o mesmo habitat, nunca podem partilhar o mesmo nicho ecológico. O nicho ecológico de uma espécie dentro de um ecossistema está dependente dos seus hábitos comportamentais e significa a forma exacta como cada ser vivo se encaixa na comunidade.

VOCABULÁRIO

Factores bióticos - conjunto de influências que os seres vivos exercem entre si e sobre o ambiente, ou seja, ao conjunto das relações bióticas e relações com o meio físico-químico.

Altitude - altura medida a partir do nível médio das águas do mar.

Salinidade - quantidade de sal dissolvido num líquido.

Concentração - quantidade relativa de uma substância numa mistura de substâncias.

Luminosidade - intensidade de luz.

Decomposição - transformação da matéria orgânica em matéria inorgânica, realizada por - organismos vivos - os decompositores.

Restrito - pequeno; limitado.

Disputa - luta; desafio.

http://www.naturlink.pt/canais/Artigo.asp?iArtigo=121&iCanal=1&iSubCanal=3191&iLingua=1 06-03-2006