A prostatectomia é uma intervenção cirúrgica indicada em situações em que há um aumento do tamanho da próstata. Este aumento de tamanho pode ser devido a patologia benigna ou maligna. A cirurgia pode ser realizada por duas vias diferentes: ou por via transuretral ou por via suprapúbica.

Descrição. A glândula prostática ou próstata rodeia a uretra e quando cresce anormalmente pode ocasionar problemas de micção (ao urinar). O aumento do tamanho da próstata pode ser causado por uma patologia benigna, a hipertrofia benigna da próstata ou pela existência de uma neoplasia (cancro), o carcinoma da próstata.

Quando há este aumento da próstata o doente vai ter dificuldade em urinar podendo mesmo chegar a não urinar de todo, pelo que, se tem que retirar toda ou parte da próstata.

A extracção da próstata pode realizar-se sob anestesia geral, ou sedação e apenas uma anestesia local, existindo duas vias de acesso para o procedimento:

a via transuretral denominando-se prostatectomia transuretral;

a via suprapúbica, através de uma incisão no abdómen, denominando-se prostatectomia suprapúbica.

Este tipo de intervenção está contra-indicado em casos de indivíduos com bexiga neurogénica ou com alterações da coagulação.

Para que serve A prostatectomia é realizada em casos de:

Micções frequentes com pequena quantidade de urina e micção aos pingos.

Micções intermináveis ou dificuldade em começar a urinar.

Impossibilidade de esvaziar completamente a bexiga durante a micção (retenção urinária).

Presença de cálculos, retidos na bexiga, por aumento da próstata.

Carcinoma da próstata.

Sangue na urina proveniente da próstata.

Hidronefrose (sofrimento renal por retenção de urina).

Como se realiza A prostatectomia por via transuretral realiza-se mediante um tipo especial de cistoscópio (ressetoscópio) que é introduzido através do meato uretral externo, situado na extremidade do pénis até à próstata. Por intermédio deste instrumento cortante procede-se à curetagem (raspagem) e coagulação do tecido prostático em excesso. Após a cirurgia deixa-se o doente algaliado durante uns dias. Nas prostatectomias por esta via os sintomas do doente desaparecem, a recuperação é rápida e pouco ou nada dolorosa. Por vezes pode ser necessário repetir a intervenção se voltar a haver novo crescimento da próstata e recorrência dos sintomas.

Na intervenção por via suprapúbica é realizada uma incisão abdominal por onde é posteriormente extraída a próstata. Este tipo de acesso tem um pós-operatório mais doloroso e uma recuperação mais lenta.

A recuperação completa ocorre mais ou menos ao fim de 3 semanas. Recomenda-se evitar a ingestão de café, coca-cola e bebidas alcoólicas pois podem provocar a irritação da bexiga e da uretra.

Quem realiza A prostatectomia é realizada por um médico especialista em urologia.

Preparação especial A prostatectomia é realizada por um médico especialista em urologia.

Complicações As complicações que podem surgir numa prostatectomia são:

As complicações de qualquer intervenção cirúrgica.

Problemas de retenção urinária.

Impotência/disfunção eréctil (alterações da capacidade de ter ou manter uma erecção).

Infertilidade.

Passagem de esperma para a bexiga durante a ejaculação (ejaculação retrógrada).

Infecção.

Hemorragia.

Vantagem deste exame face a outro tipo de exame As vantagens desta intervenção é permitir uma visualização directa da próstata e a possibilidade de retirar tecido (biópsia) para posterior análise anatomopatológica e conhecimento exacto do tipo de patologia presente.

Como interpretar os resultados Os resultados são interpretados na altura da realização da intervenção e após o tempo de recuperação, pelo médico que a realizou. Realiza-se ainda um exame anatomopatológico (histológico) aos tecidos prostáticos retirados e que são interpretados pelos médicos anatomopatologista e urologista.

http://www.millenniumbcp.pt/site/conteudos/75/exames/article.jhtml?articleID=227764 (11-02-2006)