Luanda: Recital de Poesia “Poeira de Marte”

Data
17-07-2019
Localização
Centro Cultural Português em Luanda

Descrição

No dia 17 de julho de 2019, pelas 18h30, o Auditório Pepetela do Camões - Centro Cultural Português em Luanda vão acolher a 4.ª Edição do Recital de Poesia “Poeira de Marte”.

O Recital “Poeira de Marte” tem, como Poetas Residentes, José Luís Mendonça, Amélia Dalomba, Lopito Feijó, António Gonçalves, Cristovão Neto e Conceição Cristovão.    

Segundo o promotor, escritor e poeta José Luís Mendonça, o recital Poeira de Marte “é um projeto literário humanista e interplanetário, que visa alertar para os perigos do aquecimento global, numa viagem interplanetária de salvaguarda da espécie”. Em cada Edição, cada um dos Poetas, para além de outra poesia, declamará um poema dedicado ao ambiente e ao lugar que ocupamos no Universo (ou Multiverso).

Nesta 4.ª Edição, o Promotor quis prestar homenagem à figura impar de Carlos Mar Bettencourt Faria, autodidata genial, dotado de um enorme dinamismo, criador do Centro Espacial da Mulemba. Este Centro tinha por missão, fazer estudos solares, nomeadamente: fotografias integrais diárias, contagens de manchas, heliografias, espetografias, receção de ondas eletromagnéticas. Fazia ainda toda a espécie de astro-fotografias e estudos de rádio – astronomia, bem como rastreios de satélites artificiais.

Em todo o Continente Africano, o Centro Espacial da Mulemba foi o único que registou e fotografou em aparelhagem apropriada os sinais emitidos pelo Sputnik russo. Nesse Centro, Bettencourt Faria deu largas à sua paixão pela exploração do Espaço, pela Rádio e pela Astronomia, construindo aparelhos de deteção remota, telescópios e antenas.

Num tempo em que a Terra ainda não estava rodeada por satélites de comunicações e a NASA tinha necessidade de recorrer a uma rede de colaboradores espalhados pelo mundo, que recolhessem dados enviados pelos satélites ou que estabelecessem contacto com os astronautas, servindo de “ponte” entre o Espaço e a sede da NASA, o Centro Espacial da Mulemba, em Angola era o único observatório em todo o Continente Africano a fazer esse papel. Bettencourt Faria chegou a gravar uma conversa que teve com o astronauta Neil Armstrong na Lua.

Tópicos neste artigo: