Organização

Organograma do Camões, I.P.

O presente organograma apresenta a forma como o Camões, I.P. está estruturado:  

 

Os órgãos do Camões, I.P. são:

  • Conselho Diretivo
  • Fiscal Único
  • Conselho Consultivo para a Língua e Cultura Portuguesa
  • Comissão Interministerial para a Cooperação

Ao nível da direção superior, o Camões, I.P. conta com um Conselho Diretivo e um Fiscal Único (órgão de controlo). 

 

 

Conselho Diretivo - Presidente

O Conselho Diretivo é composto por um presidente, um vice-presidente e dois vogais, cabendo ao presidente voto de qualidade.

 
 
site pres jra
Presidente do Conselho Diretivo

Embaixador João Ribeiro de Almeida

João Manuel Mendes Ribeiro de Almeida nasceu em 1 de dezembro de 1962, em Lisboa. É licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Foi aprovado no concurso de admissão aos lugares de adido de embaixada (1989). Adido de embaixada, na Secretaria de Estado (1990). Adjunto no Gabinete do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas do XII Governo Constitucional (1991-92). Secretário de Embaixada (1992). Observador da União Europeia no processo eleitoral na República da África do Sul (1994). Na Embaixada em Atenas (1995-1999) e na Embaixada em Zagreb (1999-2001). Assessor diplomático junto do Ministro dos Negócios Estrangeiros de Timor-Leste (2001). Cônsul -Geral em Benguela (2003-2004). No Gabinete do Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação do XVI Governo Constitucional, como adjunto diplomático (2004-2005). Na organização da Ministerial Ibero -Americana de Guimarães (2005). No Gabinete do Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros do XVII Governo Constitucional, como adjunto diplomático (2005-2006), e como chefe do mesmo Gabinete (2006). Na Estrutura de Missão para a Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia, como Diretor das Instalações Permanentes (2006). Diretor de Serviços da Política Externa e Segurança Comum e Correspondente Europeu, na Direção -Geral de Política Externa (2007). Cônsul -Geral em Barcelona (2011). Promovido a ministro plenipotenciário de 2.ª classe, em 2012. Embaixador em Bogotá (2013), simultaneamente acreditado como Embaixador não-residente de Portugal na República do Equador e na República da Costa Rica. Promovido a ministro plenipotenciário de 1.ª classe, em 2015. Embaixador em Buenos Aires (2017), acreditado, simultaneamente, como Embaixador não-residente na República do Paraguai.

Presidente do Conselho Diretivo do Camões, I.P. desde 1 de novembro de 2020.

Conselho Diretivo - Vice-Presidente

site vp
Vice-Presidente do Conselho Diretivo

Dra. Cristina Moniz

Licenciada em Línguas e Literatura Modernas pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Foi aprovada no concurso de admissão aos lugares de adido de embaixada, aberto 1994. Adida de embaixada, na Secretaria de Estado, em 1995. Promovida a secretária de embaixada, em 1998. Na Missão Permanente junto da Organização das Nações Unidas, em Nova Iorque (1999). Na Embaixada em Windhoek (2002). Promovida da primeira-secretária de embaixada, em 2003. Em comissão de serviço na Embaixada em Dublin (2003). Na Embaixada em Pretória (2004). No MNE, como Chefe de Divisão na Direção de Serviços das Organizações Económicas Internacionais da Direção-Geral dos Assuntos Técnicos e Económicos (2008). Promovida a conselheira de embaixada em 2010. Diretora de Serviços de Administração Patrimonial do Departamento Geral de Administração (2011). Diretora de Serviços dos Assuntos Patrimoniais e Expediente do Departamento Geral de Administração (2012). Na Embaixada em Maputo (2012). Na Representação Permanente de Portugal junto da União Europeia, em Bruxelas (2015).

Vice-Presidente do Conselho Diretivo do Camões, I.P. desde 12 de agosto de 2020.

Vogal do Conselho Diretivo

Dra. Paula Pedro Loureiro

Licenciada em Economia pelo Instituto Superior de Economia e Gestão, pós-graduada em Estudos Europeus e em Relações Internacionais. Ingressou na carreira técnica em superior em 2001, no Ministério dos Negócios Estrangeiros, tendo exercido funções no Gabinete de Organização, Planeamento e Avaliação e na Direção de Serviços de Planeamento, Orçamento e Conta do Departamento Geral de Administração do MNE. Chefe da divisão de Planeamento, Programação e Avaliação (2008-2012) da Direção de Serviços de Planeamento, Orçamento e Conta. Diretora dos Serviços de Planeamento, Orçamento e Controlo Orçamental do Departamento Geral de Administração do MNE (2012-2018).

Vogal do Conselho Diretivo

Mestre João Laurentino Costa Pinho Neves

Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas (Estudos Portugueses-Ingleses) e Mestre em Relações Interculturais. Ingressou na carreira docente em 1985. Foi Leitor do Instituto Camões em Nampula, Moçambique (1995 a 2000), e Responsável do Centro Coordenador dos Centros de Língua Portuguesa daquele Instituto (2000-2002). Adido Cultural junto da Embaixada de Portugal em Cabo Verde e Diretor do Centro Cultural de Português (2003-2012). Diretor do IPOR - Instituto Português do Oriente, em Macau (2012-2018). Vogal do Conselho Diretivo do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, por despacho do Ministro dos Negócios Estrangeiros, desde 1 de setembro de 2018.

 

 

Secretariado

Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. 

 

Maria Elizabeth Melo

Zita Coelho

Rossana Mamad

Tel: (+351) 213 109 104

 

Chefe de Gabinete do Conselho Diretivo

Dra. Maria Inês Castelo Branco

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Tel: (+351) 213 109 122

Órgãos consultivos

Comissão Interministerial para a Cooperação

Missão

A Comissão Interministerial para a Cooperação (CIC) é um órgão setorial de apoio ao Governo na área da política da cooperação para o desenvolvimento, que funciona junto do Camões, I.P..

Competência

À CIC compete:

  • Apoiar o Governo na definição da política de cooperação com os países em desenvolvimento;
  • Promover o planeamento articulado dos programas e projetos de ajuda pública ao desenvolvimento;
  • Articular as intervenções dos diversos ministérios em matéria de cooperação e ajuda pública ao desenvolvimento, tendo em vista o estabelecimento de orientações concertadas e o reforço da coordenação e coerência das políticas para o desenvolvimento;
  • Promover a coordenação da execução dos programas e projetos de cooperação de iniciativa pública;
  • Promover a recolha e a partilha, entre os seus membros, das informações e dados estatísticos relativos à execução das atividades de cooperação.

Conselho Consultivo para a Língua e Cultura Portuguesas

O Conselho Consultivo é o órgão de consulta, apoio e participação na definição das linhas gerais de atuação do Camões, I. P., e reúne pelo menos uma vez por ano, nos termos do respetivo regulamento interno.

O Conselho Consultivo é constituído:

  • Pelo presidente do Camões, I. P., que preside, e pelo vice-presidente e vogais;
  • Por um representante de cada um dos membros do Governo responsáveis pelas áreas dos negócios estrangeiros, da economia, da educação, do ensino superior, da ciência e tecnologia, da cultura, da juventude e da comunicação social;
  • Pelo diretor-geral de política externa, pelo diretor-geral dos assuntos europeus, pelo diretor-geral dos assuntos consulares e comunidades portuguesas do MNE;
  • Por cinco personalidades de reconhecido mérito nos domínios do ensino, da investigação, das artes e das ciências;
    Por um representante de cada uma das associações de sindicatos do pessoal docente, que integram as confederações sindicais com assento na comissão permanente da concertação social.

Competência

Ao Conselho Consultivo compete:

  • Pronunciar-se sobre o plano e o relatório de atividades do Camões, I. P., na área da língua e da cultura portuguesas;
  • Dar parecer sobre os planos de formação relativos ao ensino português no estrangeiro;
  • Dar parecer sobre o planeamento da rede de ensino de português no estrangeiro;
  • Dar parecer sobre a criação de centros culturais portugueses e as estruturas de coordenação do ensino de português no estrangeiro;
  • Pronunciar-se, por iniciativa própria ou mediante solicitação do presidente, sobre iniciativas relevantes para a prossecução das atribuições do Camões, I. P., na área da língua e da cultura portuguesas;
  • Contribuir para a articulação do Camões, I. P., com os órgãos do Estado e dos serviços públicos com os quais se relacione na prossecução das suas atribuições, na área da língua e da cultura portuguesas.