Maputo: Inauguração da exposição "O Mais Belo Fim do Mundo", de José Eduardo Agualusa

Data
01-12-2021 - 12-02-2022
Localização
Maputo, Moçambique

Descrição

No dia 1 de dezembro de 2021, às 18h30, será inaugurada no Camões – Centro Cultural Português (CCP) em Maputo, a exposição de fotografia e literatura “O Mais Belo Fim do Mundo”, de José Eduardo Agualusa.

A exposição “O Mais Belo Fim do Mundo” é uma celebração da amizade construída através do amor à língua portuguesa. A língua viaja pelo mundo e com ela também o amor à palavra, tão presente na plasticidade da língua portuguesa, em todos os continentes. 

Nesta iniciativa expositiva serão apresentados dois momentos que têm em comum a fotografia de José Eduardo Agualusa. Num primeiro momento são exibidas imagens da Ilha de Moçambique, onde vive atualmente Agualusa, acompanhadas de um texto do escritor moçambicano Mia Couto. Num segundo momento, o público poderá fruir de uma criativa instalação cenográfica que acolhe retratos de vários escritores de língua portuguesa registados por Agualusa em diferentes ocasiões. O projeto artístico desta exposição esteve a cargo da curadora e editora brasileira Lucia Bertazzo.

A exposição “O Mais Belo Fim do Mundo” irá decorrer no CCP em Maputo até ao dia 12 de fevereiro de 2022, entre as 10h00 e as 17h00, exceto entre os dias 18 de dezembro de 2021 e 15 de janeiro de 2022, em que o CCP estará encerrado. A entrada é livre.

 

José Eduardo Agualusa

Nasceu na cidade do Huambo, em Angola, a 13 de dezembro de 1960. Estudou Agronomia e Silvicultura. Viveu em Lisboa, Luanda, Rio de Janeiro e Berlim. Atualmente vive e trabalha na Ilha de Moçambique. É romancista, contista, cronista e autor de literatura infantil.

Os seus romances têm sido distinguidos com os mais prestigiados prémios nacionais e estrangeiros, como, por exemplo, o Grande Prémio de Literatura RTP, atribuído a "Nação Crioula". Também os seus contos e livros infantis foram merecedores de prémios, como o Grande Prémio de Conto da APE e o Grande Prémio de Literatura para Crianças da Fundação Calouste Gulbenkian, respetivamente. O "Vendedor de Passados" ganhou o Independent Foreign Fiction Prize, em 2004, e, mais recentemente, o romance "Teoria Geral do Esquecimento" foi finalista do Man Booker Internacional, em 2016, e vencedor do International Dublin Literary Award (antigo IMPAC Dublin Award), em 2017. A partir de 2013, José Eduardo Agualusa começou a publicar a sua obra na editora Quetzal.