Ação de formação reforça combate à corrupção, branqueamento e tráfico de estupefacientes em São Tomé e Príncipe

Publicado em quinta-feira, 06 junho 2019 16:14

“Todos podem superar suas circunstâncias e alcançar o sucesso se forem dedicados e apaixonados pelo que fazem” – citando Nelson Mandela, Ivete Lima Correia, a Ministra da Justiça, Administração Pública e Direitos Humanos da República Democrática de São Tomé e Príncipe, referiu-se ao empenho e compromisso do seu país, no âmbito do Projeto de Apoio à Consolidação do Estado de Direito nos PALOP e Timor-Leste (PACED), manifestando o seu profundo reconhecimento à União Europeia e ao Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. pelo inestimável apoio dado ao país.

Estas declarações decorreram na cerimónia de abertura da 2.ª fase do programa de formação que decorre de 3 a 14 de junho de 2019, em São Tomé, em parceria com o Centro de Estudos Judiciários e a Escola da Polícia Judiciária, com vista a dotar 30 formandos, de entre magistrados do Ministério Público, juízes, funcionários do sistema de investigação criminal, bancário e financeiro, com conhecimentos específicos nas áreas do combate à corrupção, branqueamento de capitais e criminalidade organizada, em particular o tráfico de estupefacientes.

A cerimónia contou ainda com a intervenção do representante do Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, Silvestre Leite, e do Vice-Procurador-Geral da República, Roberto Raposo. Esteve também presente o Embaixador de Portugal em São Tomé e Príncipe, Luís Gaspar da Silva, que realçou os resultados do PACED no reforço do capital humano e das instituições são-tomenses, reforçando a capacidade nacional e minimizando a dependência externa.

O PACED é um projeto financiado pelo 10.º Fundo Europeu de Desenvolvimento, cofinanciado e gerido pelo Camões, I.P., cuja atuação é centrada na afirmação e consolidação do Estado de direito, através da prevenção e luta contra a corrupção, o branqueamento de capitais e a criminalidade organizada.

20877