Linha de Apoio à Tradução e Edição apoia 140 candidaturas - Literatura Portuguesa será traduzida para 37 Línguas em 42 Países

Publicado em quinta-feira, 01 julho 2021 18:00

A Linha de Apoio à Tradução e Edição (LATE), da Direção-Geral do Livro, Arquivos e Bibliotecas (DGLAB) e do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, I.P., apoia, no corrente ano, a tradução e a edição no estrangeiro de 140 obras de autores de língua portuguesa, envolvendo um total de 42 países e de 100 editoras.

Esta segunda edição da LATE atribui um apoio financeiro de mais de 240.000 EUR, valor superior ao da edição anterior, que irá promover a internacionalização de 120 autores de língua portuguesa, entre obras individuais e antologias, a traduzir para 37 línguas ao todo, sendo o espanhol a língua mais representada, com 28 traduções, seguida do italiano e do inglês, respetivamente com 14 e 10 obras a serem publicadas.

Nas 150 candidaturas submetidas à apreciação da Comissão Técnica da LATE, composta por representantes do Camões, I.P., da DGLAB, da Associação Portuguesa de Escritores e da Associação Internacional de Lusitanistas, a Itália, a Colômbia e o México destacam-se como os países que mais candidaturas apresentaram. Azerbaijão, Cabo Verde, Índia, Indonésia, Iraque, Japão, Líbano e Timor-Leste constituem exemplos de países que aderiram pela primeira vez ou que não costumam constituir presença regular nos programas de apoio à edição e tradução no estrangeiro de obras da literatura portuguesa.

As candidaturas envolveram uma grande diversidade de autores e dez das candidaturas apoiadas integram a lista de obras referenciais estabelecida em 2021 pela já referida Comissão Técnica, onde se destacam autores como Hélia Correia, Fiama Hasse Pais Brandão, Maria Velho da Costa, Djaimilia Pereira de Almeida, Yara Monteiro, Soeiro Pereira Gomes, David Machado e Joaquim Arena.

Fernando Pessoa, Gonçalo M. Tavares, João Luís Barreto Guimarães, José Eduardo Agualusa, Lídia Jorge e José Luís Peixoto estão entre os escritores que mais interesse suscitaram nos editores estrangeiros, a par de clássicos como Camões, Eça de Queirós, Florbela Espanca ou Camilo Castelo Branco, e de outros escritores contemporâneos como Bruno Vieira Amaral, Isabela Figueiredo, João Tordo, António Lobo Antunes, Afonso Cruz, Ondjaki e Paulina Chiziane.

A LATE complementa o apoio financeiro atribuído à tradução e/ou edição com a aquisição de exemplares de obras apoiadas, tendo em vista a constituição de acervos bibliográficos de literatura em língua portuguesa traduzida, que se destinam às bibliotecas das estruturas das redes externas do Camões, I.P., nomeadamente, centros de língua, cátedras e leitorados.

 

Tópicos neste artigo: