Reunião informal do Grupo de Trabalho da U.E. de Ajuda Humanitária sobre Ensino Superior em situações de emergência

Publicado em terça-feira, 08 junho 2021 11:44

O Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. organizou uma reunião informal do Grupo de Trabalho de Ajuda Humanitária e Ajuda Alimentar (COHAFA), por videoconferência, no dia 4 de junho de 2021, sobre o Ensino Superior em situações de emergência. Este tema traduz uma das prioridades transversais da Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia na vertente humanitária.

O Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Francisco André, na intervenção de boas vindas, salientou o compromisso de Portugal em aumentar as oportunidades de ensino superior para refugiados, bem como para deslocados internos e à força, e jovens em geral que se encontram em cenários frágeis ou em situações de crise humanitária.

Os oradores convidados incluíram representantes da Comissão Europeia e do Serviço Europeu de Ação Externa; Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR); Banco Mundial; Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Económico (OCDE); e da sociedade civil, incluindo do Serviço de Intercâmbio Académico da Alemanha (DAAD) e da Plataforma Global para o Ensino Superior nas Emergências (APGES), de Portugal. As intervenções reconheceram a necessidade de privilegiar respostas estratégicas e integradas que reforcem a coordenação entre os atores humanitários, do desenvolvimento e da paz na promoção de aprendizagens inclusivas ao longo da vida e um ensino e formação seguros, equitativos e de qualidade - a todos os níveis - em situações de emergência e crises prolongadas.

A moderação da discussão esteve a cargo de José Filipe Moraes Cabral, na qualidade de Representante Especial de Portugal para a Educação Superior em Situações de Emergência.

Esta sessão incluiu uma intervenção gravada do ex-Presidente da República, Jorge Sampaio, em nome da APGES que, desde 2013, tem tido um papel muito ativo nesta área de atuação humanitária. Contou ainda com testemunhos de estudantes universitários sírios que iniciaram e/ou concluíram a sua formação académica em Portugal, com o apoio do Estado Português e da referida Plataforma.

Tópicos neste artigo: