Cooperação triangular

A cooperação triangular é uma modalidade de cooperação importante que permite a partilha de conhecimentos, a aprendizagem conjunta e o desenvolvimento de capacidades com base nas vantagens comparativas dos parceiros, na complementaridade de ações e na alavancagem de recursos financeiros. Representa, desta forma, um importante investimento de longo prazo, que pode ter um efeito multiplicador, complementando e acrescentando valor às ações de cooperação bilateral.

A cooperação triangular contribui ainda para uma maior aproximação entre os países nela envolvidos, com um impacto que vai muito além do desenvolvimento dos países beneficiários. Esta colaboração torna-se ainda mais relevante no quadro da implementação da Agenda 2030 e da resposta aos grandes desafios globais, que requerem uma partilha de responsabilidades e de esforços, muito além da tradicional e já datada dicotomia Norte/Sul.

A cooperação triangular é, assim também, no atual contexto, o encontro entre dois paradigmas - a cooperação tradicional Norte/Sul e a Cooperação Sul/Sul - numa confluência de interesses em torno do objetivo do desenvolvimento global.

O Camões, I.P. celebrou Memorandos de Entendimento com países da América Latina como a Argentina, o Chile, o Uruguai, a Colômbia, El Salvador e o Brasil e com países do Norte de África, como Marrocos e Egito, com vista ao desenvolvimento de ações de cooperação triangular para o desenvolvimento em países terceiros e tem vindo a dialogar com instituições de outros países com vista ao estabelecimento de ações desta natureza. As nossas atividades de cooperação triangular têm como principais destinatários os países prioritários da Cooperação Portuguesa mas também outras geografias.

Ao longo dos últimos anos Portugal tem ocupado um lugar de destaque na promoção do debate internacional sobre Cooperação Triangular.

O Camões, I.P. promoveu, até à data, 4 reuniões internacionais sobre cooperação triangular em Lisboa em parceria com a OCDE. A última destas reuniões teve lugar em abril de 2018 e juntou mais de 100 responsáveis, decisores políticos e especialistas de países, organizações internacionais e da sociedade civil de todo o mundo, num encontro que pretendia obter os contributos e as diferentes visões e experiência dos participantes, quanto ao papel da cooperação triangular na resposta aos desafios globais e identificar mensagens conjuntas a transmitir na II Conferência de alto nível das Nações Unidas sobre a Cooperação Sul-Sul e Triangular, que teve lugar em março de 2019 e onde foi adotado o Plano de Ação de Buenos Aires (PABA+40).